Amazonas Colunas Tefé minha saudade

13 De Junho: Dia de Santo Antonio(Por Raimunda Gil Schaeken)

Professora Raimunda Gil Schaeken(AM)
Professora Raimunda Gil Schaeken(AM)
Redação
Escrito por Redação

O mês de junho é rico de tradições em todo o nosso Brasil, com destaque para as festas juninas de Santo Antônio, São João Batista e São Pedro, apóstolo. Essas festas celebradas no calendário litúrgico são marcadas por novenas, procissões, fogueiras, barraquinhas, danças folclóricas. São expressões de religiosidade popular e das tradições de nosso povo.
Aproveitamos, para destacar “Santo Antônio de Pádua”:

Ele viveu entre os anos 1195 e 1231. Uma doença o impediu de trabalhar no norte da África, por isso percorreu toda a Itália pregando o Evangelho.

É um dos santos mais conhecidos pelo nosso povo. Sua devoção, trazida de Portugal pelos colonizadores, rapidamente se firmou em terras brasileiras, de tal modo que há sempre um lugar em nossos templos e casas para a imagem do santo. Figura revestida de muitas lendas e contos, Santo Antônio é bem mais do que o “santinho casamenteiro”. É, antes de tudo, um fiel discípulo do Cristo pobre e humilde, que assumiu decididamente o modo de vida proposto por São Francisco de Assis, desafiando a opulência de seu tempo e conduzindo o povo ao essencial da fé: o amor total aos valores ensinados por Jesus.

Impressiona-nos, na vida de Santo Antônio, o amor à Palavra de Deus e à sua pregação. Desde criança, gostava de ir à Igreja para ouvir as explicações a respeito do evangelho. Preocupou-se constantemente com a catequese de seus irmãos, sempre ajudando-os no discernimento da vontade de Deus por intermédio da meditação, da oração e dos estudos.

O amor aos pobres e a denúncia diante das injustiças da época marcaram profundamente a vida desse santo. Ele mesmo, que era rico, fez-se pobre e tornou-se num sinal da preferência de Deus pelos pequeninos e humildes.

A festa religiosa de Santo Antônio de Borba, município do Amazonas (150 km de Manaus) é considerada uma das maiores do Estado. Atrai milhares de fiéis todos os anos, para homenagear o padroeiro, cujos fragmentos dos restos mortais podem ser vistos na Basílica menor.

No ano de 2008, os festejos tiveram início com uma grande procissão fluvial de Manaus a Borba.

A imagem restaurada de Santo Antônio, de 312 anos de história, juntamente com a relíquia de Santo Antônio e uma réplica do Santuário Basílica de Santo Antônio de Borba, foram  colocadas em uma balsa e acompanhadas por várias embarcações que saíram do Porto de Manaus, no dia 29 de maio, às 17h, e percorreram várias comunidades da  Prelazia, até chegar a Borba, no dia 1º de junho.

Morreu muito jovem, com apenas trinta e seis anos. Querido de nosso povo, aprendamos dele a amar Cristo e seu evangelho.(Raimunda Gil Schaeken -Tefeense, professora aposentada, católica praticante, membro efetivo da Associação dos Escritores do Amazonas – ASSEAM e da Academia de Letras, Ciências e Artes do Amazonas –ALCEAR.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.