Amazonas Tefé minha saudade

1º Domingo de agosto: Dia do Padre(Por Raimunda Gil Schaeken)

Professora Raimunda Gil Schaeken(AM)
Redação
Escrito por Redação
Professora Raimunda Gil Schaeken(AM)

                                            Professora Raimunda Gil Schaeken(AM)

Agosto é, para a Igreja no Brasil, o Mês Vocacional. Em 1981 iniciou-se essa celebração, com o objetivo de se refletir, a cada domingo, uma vocação específica dentro da Igreja. O primeiro domingo deste mês é dedicado à vocação do padre.
No dia 4 de agosto a Igreja celebrou a memória de São João Maria Vianney, presbítero, o patrono dos presbíteros. Ele disse que “a mais bela profissão do homem é amar e rezar”. Viveu intensamente seu sacerdócio e buscou na oração, na palavra e na eucaristia forças para servir a Deus nos irmãos e irmãs que o procuravam. Um homem, um sacerdote, um santo.

É muito oportuno celebrar o Dia do Padre, pois acredito que nós católicos algumas vezes ainda não compreendemos bem a grandeza, a positividade e a preciosidade desta presença nas comunidades.

Padre, sacerdote, presbítero, é o homem batizado como você. Mas que respondeu a um chamado para ser consagrado ao serviço do Reino. É este padre que te dá os sacramentos, que te abençoa, que te orienta, que te corrige, que te olha com compaixão e carinho.  E como Cristo, denuncia a religião vazia, se ira diante da injustiça. Mas é também este padre que é homem. Que sofre, se angustia e chora, que tem vontades e desejos, que precisa do calor humano da família e dos amigos, que sorri, que brinca, que busca a amizade dos adultos e crianças.

O padre é irmão, pai, amigo e pastor. Sua função é a de servir como base e apoio para toda a comunidade, no processo de crescimento na fé. Anima as lideranças, auxilia na administração paroquial, promove formação e, nos pontos mais longínquos e esquecidos do Brasil é um defensor corajoso da justiça.
Foi pelos ensinamentos do padre que o Brasil viu as luzes da educação quando nenhum professor deixaria o conforto da Coroa para se embrenhar nas terras silvestres da colônia. Através dos séculos, suas pregações e suas homilias têm despertado a consciência do homem para a fraternidade universal.

Pelo padre mantemos a unidade eclesial, crescemos na fé e no conhecimento da Palavra de Deus. Ele é indispensável para celebrarmos a Eucaristia e os demais sacramentos, sinais visíveis de nossa salvação em Jesus Cristo. O padre é um dom para as nossas comunidades!

Você que é batizado, olhe agora para este homem batizado que foi consagrado. Você pode não amá-lo, mas tem a obrigação de respeitá-lo e de rezar por ele.

Padre, que Deus te abençoe, te proteja, e que como Maria, Mãe de todos os sacerdotes te ajude a dizer todo dia um sim generoso a Deus por tão grande dádiva em sua vida.

“Há a alegria de ser puro e a de ser justo; mas há, sobretudo, a maravilhosa, a imensa alegria de servir”.(Raimunda Gil Schaeken – Tefeense, professora aposentada, católica praticante, membro da Associação dos Escritores do Amazonas – ASSEAM e da Academia de Letras, Ciências e Artes do Amazonas – ALCEAR.)

.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.