Amazonas Formal & Informal

A pista da esquerda mais lenta do Brasil está nas ruas de Manaus

pista da esquerda3
Redação
Escrito por Redação

Vário fatores contribuíram para que os condutores de veículos em Manaus, autônomos e profissionais, utilizem a faixa da esquerda da pista para andar devagar. Na Região Metropolitana de Manaus, o lado esquerdo das ruas, avenidas, autoestradas e rodovias é sempre o mais lento para se trafegar, enquanto o direito, com todas as retenções e paradas de ônibus, flui normalmente.

A fiscalização municipal de trânsito, à cargo da Manaustrans, pouco influencia nesse processo. Eles próprios costumam trafegar lentamente pela esquerda da pista. É uma questão cultural, que exige anos e anos, muitos programas educacionais e buzinadas, para conseguir resultados que possam amenizar a dificuldade de transitar por logradouros e vencer a balbúrdia de um trânsito mal acostumado.

Para o vereador Plínio Valério (PSDB), os inúmeros retornos instalados do lado esquerdo das pistas, ao longo das avenidas, contribuíram para “acostumar” os condutores de veículos a trafegarem pelo lado esquerdo. Hoje, praticamente não existem mais esses retornos, salvo alguns na Estrada da Ponta Negra, Zona Oeste e na Grande Circular, na Zona Leste. Mesmo assim, ficou o costume, que nem as autoescolas e o xingamento de condutores apressados conseguem reverter.

Andar lento na pista da esquerda é um costume que vai de encontro às leis de trânsito no Pais.

Andar lento na pista da esquerda é um costume que vai de encontro às leis de trânsito no Pais.

Outro fator que contribui com a prática do trânsito lento na esquerda, pode ser atribuído ao Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito de Manaus (Manaustrans), com os “marronzinhos”, que multa a torto e a direito e, muitas vezes sem direito de multar. É comum, ver os agentes de trânsito escondidos nas moitas e babando para cima de veículos particulares, por uma simples parada em local não permitido ou retorno em local inapropriado, mas, pouca ou nenhuma atenção eles dão aos “cones” dos donos de bares, restaurantes, casas de musculação, borracharias, botequim, carga e descargas em horário e local inapropriado e tudo que se possa imaginar do lado direito da pista.

Pouco espaço, por causa da "faixa azul" e muitos caminhões em horário de pico.

Pouco espaço, por causa da “faixa azul” e muitos caminhões em horário de pico.

A prática ilegal de colocar cones na frente dos comércios, sem permissão da Manaustrans é comum em Manaus e obriga motoristas andarem pelo lado esquerdo da pista, devagar ou não. A vista grossa do órgão municipal, para a prática comum do chamado “mercado de pista”, contribui para o que o vereador Plínio Valério chama de “descaso com um programa definido de educação no trânsito”.

Plínio e os condutores que conhecem o trânsito de outras cidades do Brasil, consideram o trânsito de Manaus um dos piores do Brasil. “Nós temos a cultura da punição, cultura da multa. A multa não ensina, o que ensina é a escola, deveria ter uma matéria nas escolas sobre educação no trânsito”. Conforme o vereador, o mal do século é o stress e o trânsito é o maior causador desse stress. A educação com campanhas educativas, que alerte e não só que multe certamente poderia melhorar o trânsito da cidade. “Multar é fácil, quero ver é prevenir, educar”, finalizou.

Enviamos, por e-mail, três perguntas ao departamento de comunicação do Manaustras.

São elas:

Correio – Existe um programa de educação no trânsito sendo elaborado pelo Manaustrans onde, também, ordene a fluidez do trafego? Se positivo, quando entrará em vigor?

– O Manautrans atualmente tem dois projetos em execução, um é o Manaus na Faixa, que tem a finalidade de sensibilizar condutores e pedestres para a travessia segura e o Condutor Consciente, destinado ao motorista profissional. Neste ano, o setor de educação já realizou palestra para cerca de 40 empresas e para servidores da prefeitura e do estado, alcançando mais de 1494 motoristas.

Correio – Porque a fiscalização e multas de trânsito se restringe a carros particulares, quando existem bares, restaurantes, borracharias e uma infinidade de comercio de grande a pequeno porte reservando lugar nas ruas com cones, grades e até material descartáveis?

– Diariamente, o Manaustrans realiza operações para coibir estacionamentos irregular, operação de fluidez de trânsito, mas também temos operações destinadas a coibir obstrução de vias; Operação Calçada Livre, com a finalidade de desobstruir o passeio, retirando placas de publicidades, ambulantes que colocam mercadorias no passeio. Outra operação que tem sido muito positiva é a Operação Vaga Lega, destinada impedir guarda de vagas de estacionamentos com cones, cavaletes, latas, baldes. O Manautrans constantemente está nas ruas de Manaus para coibir irregularidades no trânsito.

Correio – Porque ainda continuam circulando caminhões, carretas, fazendo carga e descarga em horários de pico, sem que haja um ação efetiva para impedir a prática?

– Em Manaus, temos a Zona máxima de Restrição, são vias que proíbem a circulação de carretas e caminhões não permitidos em determinados horários. Se o agente flagrar a circulação indevida o condutor será notificado. Para a carga e descarga, também tem regras e locais para se fazer em determinados horários, porém para resolver de vez este problema de carga e descarga, está sendo analisado o projeto do Zona Azul que vai fiscalizar com mais intensidade o estacionamento irregular.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

1 comentário

  • Há outro fator não mencionado na reportagem que são os inúmeros buracos existentes na pista direita principalmente nos bairros não se anda 50 metros sem se deparar com um buraco o que faz com por amor aos carros se procure a faixa esquerda.

error: Ops! não foi dessa vez.