Amazonas Formal & Informal

A Samsung descumpre a CCT e trabalhadores vão parar nessa sexta feira (13)

Parque industrial da Samsung em Manaus.
Parque industrial da Samsung em Manaus.
Redação
Escrito por Redação

A Samsung Amazônia está usando de um artifício antidemocrático e assédio moral para impedir que três dirigentes sindicais atuem nas suas funções dentro da empresa, da qual são funcionários efetivos. Eles foram eleitos nesse dia 10 de novembro, nas eleições internas do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas.

A informação foi passada por diretores do Sindicato, que denunciam a empresa de não cumprir a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e de não respeitar as Leis trabalhistas do País. De acordo com eles, essa é uma prática de rotina, dentro da Samsung da Amazônia.

De acordo com a diretoria dos Metalúrgicos, há tempos a direção do sindicato vem tendo problemas em manter representantes sindicais no parque industrial da empesa. Depois que a Samsung foi contemplada com três diretores de chão de fábrica, eles começaram a induzir os dirigentes a não atuarem dentro dos cargos para o qual foram eleitos, numa mostra clara de que não cumprem a CCT e as ações constitucionais do Sindicato.

Em função do desrespeito à CCT, a escolha dos dirigentes sindicais em eleições diretas e ao próprio Sindicato, a direção dos Metalúrgicos resolveu paralisar as atividades na Samsung nessa sexta feira (13), pela manhã e mover uma ação cível e trabalhista contra a empresa no Ministério Público do Estado (MPE) e no Ministério do Trabalho (MT).

Até então a Samsung não tinha representante sindical. Com as eleições desse dia 10 de novembro e a reeleição do presidente Valdemir Santana para mais quatro anos de mandato, a Samsung resolveu “colocar as unhas de fora” e mostrar todo o desrespeito às Leis trabalhistas e aos seus funcionários, no Amazonas.

Para os diretores, esse não é um fato novo. Normalmente, a empresa já não cumpria a CCT. Com a Ida dos três dirigentes sindicais para atuarem internamente, fiscalizando de perto os direitos dos trabalhadores, a direção da Samsung se sentiu ameaçada e voltou a perseguir seus funcionários, como há muito tempo vem fazendo.

Hoje, a Samsung tem mais de seis mil funcionários contratados. Entretanto, “tem por hábito não cumprir a CCT, servir alimentação de péssima qualidade e até estragada, não promover trabalhadores por mérito, usar do artifício do desvio de função, não pagar insalubridade, periculosidade e nem fazer equiparação salarial devida”, concluiu a direção dos Metalúrgicos.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

1 comentário

  • Quanta baboseira. Porque não perguntam pros empregados da sansung o que aconteci dentro da impresa. Esse Valdemir não fala que tem 6000 funcionário aqui mas só tem 20 contribuinte sindical aqui dentro. Sindicato sanguissuga não ajudão os funcionário e quer bota morau.

error: Ops! não foi dessa vez.