Amazonas Política

Acadêmicos do curso de Saúde Coletiva da (UEA) pleiteiam inclusão em concurso e PCCS

Coordenadora Luciane Lima(UEA)/Foto: Tiago Corea
Redação
Escrito por Redação

Durante Tribuna Popular, na Câmara Municipal de Manaus, por iniciativa do vereador Álvaro Campelo (PP), realizada ontem (09), acadêmicos do curso de Saúde Coletiva da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) solicitaram apoio para que a categoria seja inserida nos concursos públicos municipais e no Plano de Cargos, Carreiras e Salários do Município, os quais contaram, também, com reforço de professores da Universidade.
De acordo com a coordenadora do curso, Luciane Lima, já existem sanitaristas no serviço público, porém com graduação em outras áreas, e a nova categoria, como explicou Luciane, vem com o propósito de trabalhar gestão de saúde, especificamente gestão do Sistema Único de Saúde (SUS), ainda não está inserida nos certames.

“Hoje temos turmas de Saúde Coletiva presente em 18 municípios do Amazonas, com um total de 500 acadêmicos que querem melhorar a Saúde no Brasil”, observou a coordenadora, que fez questão de explicar a diferença entre o sanitarista assistencialista e o profissional de Saúde Coletiva formado com foco em gestão da saúde pública, SUS, problemas sociais e meio ambiente. “Eles vêm com essa visão mais administrativa”, completou Luciane.

Antônia Eliene Rodrigues, do curso Saúde Coletiva da UEA, explanou sobre a importância e o empenho do profissional da área. Conforme defendeu a aluna, o bacharel em Saúde Coletiva intervém nos problemas e situações relacionadas à saúde da população em geral ou de determinado grupo, com objetivo de promover a qualidade de vida das pessoas. “Estamos sendo preparados para dirigir, planejar, administrar e supervisionar as políticas sociais da Saúde dos órgãos públicos e privados, além de realização de pesquisas cientificas e propor ações no controle ambiental, epidemiológicos e sanitário”, acrescentou a acadêmica.

Álvaro Campelo disse que a iniciativa dos acadêmicos trará benefícios para a categoria, da mesma forma que trará para a sociedade manauara. “Essa ação vem no sentido de somar o apoio necessário, para que, em breve, tenhamos profissionais qualificados para a gestão da Saúde Coletiva em Manaus”, frisou Álvaro Campelo.

Mais apoio

A solicitação ganhou apoio dos demais parlamentares. O vereador Fabrício Lima (SDD) destacou que os profissionais prestarão serviços benéficos à Saúde do Estado. “Temos que prevê os recursos para o Município, para que haja concurso público em 2016”, disse o vereador.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.