Cidades

Aluno do IFAM campus Humaitá é finalista do Parlamento Juvenil do Mercosul

Jonathan Moreira é finalista do Mercosul Juvenil/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

A juventude nos últimos tempos, tem sido protagonista na participação das discussões políticas e na condução de grupos de debates sobre o futuro do Brasil.
Dentro desse parâmetro, com apenas 15 anos, o aluno do IFAM Campus Humaitá, Jonathan Moreira Campos, teve o projeto sobre inclusão educativa aprovado para a fase final do projeto Parlamento Juvenil do Mercosul (PJM).

Os eleitos irão representar seu estado e o Brasil no PJM durante o período 2016 a 2018, tendo participação ativa nas discussões e no processo de elaboração da Declaração do Parlamento Juvenil.

Jonathan Moreira é finalista do Mercosul Juvenil/Foto: Divulgação

Jonathan Moreira é finalista do Mercosul Juvenil/Foto: Divulgação

Com o tema “Desenvolvimento da literatura sul-americana nas Escolas do Mercosul”, Jonathan se mostrou confiante com a aprovação para a próxima fase e ressaltou a importância da proposta. “Recebi com alegria a notícia de que meu projeto foi selecionado. Alguns alunos possuem ótima qualidade no aprendizado, mas tem muita dificuldade em leitura. O objetivo do meu projeto é motivar os estudantes para a literatura, valorizando autores de países vizinhos que muitas vezes são desconhecidos”, destacou o aluno do 1º ano do Ensino Médio Integrado do curso de Informática .

Jonathan e os demais  selecionados  terão  seus  perfis  e  projetos  divulgados,  ficando  disponíveis  para  consulta pública no portal http://pjm.mec.gov.br. Durante o processo eleitoral, o jovem poderá promover sua candidatura por meio de  vídeos    e    postagens    em    suas    redes    sociais,    utilizando    a    Hashtag #EleiçãoPJMBrasil2016. A eleição será on-line e ocorrerá no período de 30  de outubro a 5 de novembro de 2016.

Objetivo do Parlamento Juvenil do Mercosul

O  principal  objetivo  do  PJM é  favorecer  e  promover  o  protagonismo  juvenil,  abrindo  espaço para diálogos e discussões acerca de temas vinculados à educação, como: inclusão  educativa,  participação  cidadã,  direitos  humanos,  diversidade  de  raça,  etnia  e  gênero,  integração regional e trabalho. Assim, voltados para o tema principal – “O ensino médio que  queremos”  –,  os  jovens  elaboram  propostas  que  abordam  as  necessidades  e  anseios  comuns ao MERCOSUL.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.