Brasil

Análise: 8 marcas de azeite são reprovadas em teste de qualidade

O produto mais bem avaliado no teste, foi o Cocinero, indicado como autêntico azeite extravirgem.
Redação
Escrito por Redação
O produto mais bem avaliado no teste, foi o Cocinero, indicado como autêntico azeite extravirgem.

O produto mais bem avaliado no teste, foi o Cocinero, indicado como autêntico azeite extravirgem.

A Proteste – associação que busca a defesa dos direitos co consumidor – realizou análise minuciosa de 20 rótulos de azeites disponíveis no mercado brasileiro e sugere que oito marcas sejam retiradas da comercialização por representar fraude contra o consumidor.

De acordo com a Revista Veja, o teste de qualidade apontou que das oito marcas de azeite extra-virgem, quatro foram reprovadas por adulteração do produto e outras quatro eram apenas virgens, ou seja, apresentam classificação diferente da indicada no rótulo.

As marcas reprovadas que apresentação adulteração foram Figueira da Foz, Tradição, Quinta d`Aldeia (reincidentes) e Pramesa. A análise em laboratório comprovou que há adição de outros óleos vegetais, o que não é permitido por lei e as tornam produtos de risco para a saúde, pois apresentam gordura diferente da que é proveniente da azeitona.

As outras quatro marcas, Qualitá, Beirão, Carrefour Discount e Filippo Berio embora tragam a palavra extravirgem na embalagem, a análise sensorial apontou que eles eram apenas virgens. Isso significa que, na hora da compra, você paga mais caro por um extravirgem, mas leva um produto diferente para casa.

O produto mais bem avaliado no novo teste, segundo a Proteste, foi o Cocinero, indicado como autêntico azeite extravirgem, que apresentou excelente qualidade, apesar de sua embalagem de plástico (garrafas de vidro escuro tendem a conservar melhor o alimento). A marca precisa apenas se adequar quanto a data do envase no rótulo.

(NOTICIAS AO MINUTO)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.