Amazonas Esportes

Anderson Spider sob ao octógono buscando subir de categoria. como azarão

Spider quer subir e categoria, mesmo fora de forma/Foto: Diego Ribas
Redação
Escrito por Redação
Spider quer subir e categoria, mesmo fora de forma/Foto: Diego Ribas

Spider quer subir e categoria, mesmo fora de forma/Foto: Diego Ribas

Apontado quase de forma unânime como o maior lutador de todos os tempos do UFC, Anderson Silva parece disposto a colocar, seguidamente, em risco o legado construído após anos de vitórias no octógono. Recordista em número de defesas de cinturão, nocautes e duelos invictos no maior evento de MMA do mundo, o veterano de 41 anos, que já não vence uma luta oficialmente desde outubro de 2012, topou fazer parte uma combinação perigosa: subir de categoria, enfrentar o campeão e sequer treinar para o duelo.
Por isso, ao aceitar substituir Jon Jones, que foi flagrado no doping, Anderson mede forças com Daniel Cormier neste sábado (9) com o maior índice de desconfiança da sua carreira. Franco azarão nas bolsas de apostas, o ex-campeão dos médios (84 kg), que em maio passou por uma cirurgia na vesícula, ainda vê no rival as habilidades que costumam complicar seu jogo no cage.

Mais forte, 10 kg mais pesado e dono de um dos melhores wrestlings do MMA mundial, Cormier larga na frente para o duelo que pode apresentar mancha significativa na carreira do Spider. Afinal, se no período entre 2007 e 2012 o brasileiro colecionou recordes positivos, desta vez a sequência ruim, que inclui derrotas, flagra em uma exame antidoping e uma fratura na perna durante uma de suas lutas contra Chris Weidman, chega a um ponto perigoso para o veterano.

Ao apostar alto, Spider abre a possibilidade que, mesmo sendo pequena, pode o levar a um feito histórico caso vença o campeão dos meio-pesados (93 kg). Mas, caso perca, a imagem do outrora melhor do mundo será transmitida para todo o mundo da pior forma possível, logo no card principal no show que, de acordo com as apostas da organização, será a maior venda de pay-per-views da história.

Por isso, a impressão que fica é que Anderson entrou em uma espécie de tudo ou nada. Situação essa surpreendente e impensável justamente para o lutador que por ser apontado como o melhor de todos os tempos não deveria, ou merecia, passar por isso.(UOL)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.