Mundo

Após acordo, Colômbia e Farc decretam cessar-fogo definitivo

Timochenko ordenou o cessar-fogo pouco após Juan Manuel anunciar uma atitude similar.
Timochenko ordenou o cessar-fogo pouco após Juan Manuel anunciar uma atitude similar.
Redação
Escrito por Redação
Timochenko ordenou o cessar-fogo pouco após Juan Manuel anunciar uma atitude similar.

Timochenko ordenou o cessar-fogo pouco após Juan Manuel anunciar uma atitude similar.

Dias após o histórico anúncio de um acordo de paz entre o governo da Colômbia e o grupo guerrilheiro Farc, representantes das duas partes anunciaram um cessar-fogo definitivo que teve início na meia-noite do último domingo.

Rodrigo Londoño Echeverri, também conhecido como Timoleón Jiménez, o “Timochenko”, ordenou o cessar-fogo pouco após o presidente Juan Manuel Santos anunciar uma atitude similar.

“Ordeno a todos nossos comandantes, a todas nossas unidades, a todos e cada um de nossos e nossas combatentes o cessar-fogo e o fim das hostilidades de forma definitiva contra o Estado colombiano”, disse, em comunicado.

Santos comemorou a ação. “Neste dia, 29 de agosto, começa uma nova história para a Colômbia. Silenciamos os fuzis. Acabou a guerra com as Farc!”, escreveu sobre o cessar-fogo que coloca fim a um conflito que durou mais de meio século.

Os colombianos celebraram o anúncio nas redes sociais, que foram inundadas com mensagens de esperança.
No último dia 23, as autoridades de Bogotá e os guerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) concluíram as negociações de paz, após mais de três anos de negociações em Havana, Cuba.
Em um ato cheio de simbolismos, Santos entregou no final da semana passada ao Congresso o texto do acordo, que aborda cinco pontos, como reforma agrária e participação política, entre outros, para que seja convocado um plebiscito para que os colombianos deem a última palavra sobre o documento. Desta forma, um plebiscito deve ser convocado para o dia 2 de outubro.

Desde que as Farc foram criadas, no começo dos anos 1960, estima-se que o conflito com Bogotá tenha deixado mais de 220 mil mortos, quase 50 mil desaparecidos e 6,6 milhões de deslocados. (NOTÍCIAS AO MINUTO)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.