Amazonas Esportes

Após do tri nos 100, Bolt agora que bater recorde nos 200 m rasos

Usain Bolt quer agora o recorde nos 200 m rasos/Foto: Reuters
Usain Bolt quer agora o recorde nos 200 m rasos/Foto: Reuters
Redação
Escrito por Redação
Usain Bolt quer agora o recorde nos 200 m rasos/Foto: Reuters

                               Usain Bolt quer agora o recorde nos 200 m rasos/Foto: Reuters

Usain Bolt não quer nada menos que terminar os Jogos Olímpicos deste ano, com mais três medalhas de ouro em sua coleção. Após o tricampeonato nos 100 m rasos, o velocista jamaicano não admite perder as disputas nos 200 m rasos e no revezamento 4×100 m, na pista do Engenhão.
“Vim para essa Olimpíada para ganhar três medalhas de ouro. Para me botar de novo como um dos maiores. Então é esse o meu foco. Se por alguma chance eu falhar, claro que eu vou ficar triste. Não vou me sentir completo”, comentou.

E as nove medalhas para fazer história ainda vêm acompanhadas de mais cobranças. O inquieto Usain Bolt deixou a meta ainda mais ousada para a prova dos 200 m.

“A grande coisa eu quero é o recorde dos 200 m. Depois da semifinal, quando minha confiança voltou, se eu conseguir ter uma boa noite de descanso, há uma possibilidade que eu possa. Vou deixar tudo na pista. Vou correr o máximo que eu puder. Vou tentar executar o melhor possível”.

A empolgação para as próximas provas vem após uma temporada de dúvidas e questionamentos em 2015. “Nunca se pode duvidar de você. Depois da temporada de 2015, eu estava sofrendo. Essa foi melhor e foi positiva. Estou excitado com o que vai acontecer no resto da Olimpíada”, disse.

E engana-se quem pensa que o desafio maior ainda está por vir nas duas provas que restam. Em sua análise, a maior pressão se fazia presente nos 100 m. “Quando vi que eu tinha ganho, me senti aliviado porque é meu evento mais fraco”, revelou.

Em ambas as provas, Bolt também busca a terceira medalha de ouro olímpica consecutiva. Confirmando as vitórias, ele ratificará o posto de maior velocista da história do atletismo – com nove medalhas de ouro. E o jamaicano já sabe como gostaria de ser chamado.

“Teve uma coletiva que um cara falou que eu seria um mito. Gostei disso. Serei um mito”, finalizou.(UOL)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.