Mundo

Após greve de fome que durou cem dias, brasileiro deixa prisão na Palestina

Islam e sua mãe/Foto; Arquivo Pessoal
Redação
Escrito por Redação

O brasileiro Islam Hamed deixou a prisão onde estava detido, na cidade palestina de Ramallah, por volta das 20h00 de hoje, terça-feira (21), no horário local. Na segunda-feira (20), ele completou 100 dias de greve de fome. Desde que começou o protesto, no dia 11 de abril, Islam perdeu 30 quilos e, segundo a família, o funcionamento de seu organismo ficou comprometido em razão do protesto. Islam reivindicava o direito de ser libertado e vir para o Brasil.
Nesse momento, Islam encontra-se escondido, de acordo com a família. Apesar de a pena dele ter terminado em setembro de 2013, a liberdade do brasileiro-palestino não é garantida. Acusado por Israel de ter atirado em colonos israelenses dentro do território da Palestina, ele ainda pode ser preso, dessa vez, pela justiça de Israel.

Durante as negociações para libertação de Islam com o Itamaraty e a Autoridade Palestina, o governo de Israel negou a autorização de saída de Islam da Palestina e anunciou que, uma vez libertado, voltaria a prendê-lo.

Apesar das acusações de Israel, documento em árabe traduzido a pedido do Itamaraty e enviado à família de Islam no Brasil revela que a justiça palestina não encontrou provas de que Islam tenha atirado nos colonos israelenses.

A família dele ainda não sabe dizer como ele foi solto, já que uma das exigências da Autoridade Palestina para que ele saísse da prisão seria a assinatura de um termo de responsabilidade pela vida do brasileiro-palestino.

O Itamaraty não confirma a saída do brasileiro, mas informa que durante as negociações ele teria assinado um documento dizendo ter ciência de que a saída implicaria em riscos para sua integridade.

Após a assinatura do documento, a Autoridade Palestina teria liberado o brasileiro deixando a seu critério a escolha para o melhor momento e forma de deixar o presídio. A família acredita que Islam não deve vir para o Brasil e teme pela segurança dele.(UOL)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.