Amazonas Esportes

Após onze dias de disputas, movimentando sete mil atletas, os JEAS estão concluídos

Decisão movimentada no basquete masculino/Foto: Mauro Neto
Decisão movimentada no basquete masculino/Foto: Mauro Neto
Redação
Escrito por Redação
Decisão movimentada no basquete masculino/Foto: Mauro Neto

Decisão acirrada basquete masculino/Foto: Mauro Neto

Os 39º Jogos Escolares do Amazonas (JEAs) foram encerrados, hoje, sábado (30), após movimentar 150 mil pessoas, a contar profissionais e atletas da Capital e do interior do Amazonas. No dia 23 de março, a competição estreou com as seletivas e no dia 20 de julho a corrida começou pela fase final do evento, período este todo disputado em Manaus, com a chancela do governo do Amazonas, coordenados pela Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) e Secretaria de Estado de Educação (Seduc).
Para encerrar com chave de ouro o evento, o público pode conferir e conhecer na manhã de hoje, os grandes campeões da natação e do basquete. As modalidades foram disputados na piscina do Clube do Trabalhador SESI, no Coroado, e no Ginásio Ninimberg Guerra, no São Jorge.

Basquete

Em uma disputa de alto nível técnico, La Salle e Adalberto Valle fizeram uma final cercada de emoção e muita rivalidade. A perca de dois títulos neste ano para o rival- Campeonato Amazonense e Jogos Particulares – levou o Adalberto Valle a entrar em quadra com “sangue nos olhos”. A vontade e a entrega dos meninos da escola da zona centro-sul deu certo, pois venceram após marcar 47 x 44 no time da escola do Dom Pedro.

“Deu tudo certo hoje, graças a Deus. Não esperávamos que eles (La Salle) fossem diminuir tanto o placar, pois chegamos ter vantagem de 18 pontos até metade do terceiro período, mas nosso time estava cansado e tínhamos apenas seis para rodar. Porém, lutamos, e conseguimos a primeira colocação”, comemorou o técnico da equipe juvenil do Adalberto Valle, Bruno Parente.

Para o técnico do La Salle, Sandro Costa, a “bola não caiu”. A perda do título acabou deixando os jogadores da escola arrasados, tanto pela derrota como pelo fechamento de um ciclo. Depois de quatro anos, a equipe vai ser reformulada e apenas três jogadores vão permanecer na categoria juvenil, o restante passou para a categoria adulta.

“Treinamos tanto e na hora do jogo dá um branco. Fomos atrás, corremos e quase conseguimos. A bola dos meninos do Adalberto Valle caiu e estava caindo tudo deles. O nosso infelizmente não estava, pouca cesta saiu, e quando começou a cair era tarde”, lamentou o treinador, destacando a despedida de vários jogadores da categoria. “Foi o último ano de muitos deles, depois de quatro anos juntos, e isso emociona”.

Hegemonia

Entre as diversas escolas que estiveram na disputa da natação, o La Salle se destacou em todas as categorias: 100m livre, 50m costa, 50m peito, 200m medley e revezamento 4x50m. A escola do bairro Dom Pedro medalhou nas categorias infantil e juvenil, nos naipes masculino e feminino, e conseguiu emplacar 10 atletas nos Jogos Escolares da Juventude (JEJ), que acontece de 20 a 29 de setembro para a categoria infantil (12 a 14 anos) e de 10 a 19 de novembro para a Juvenil (15 a 17 anos). Ambos serão realizados em João Pessoa, na Paraíba.

“Foram classificados três atletas do infantil e sete atletas na juvenil que vão para os Jogos Escolares. Esse resultado na natação é fruto do apoio que a escola proporciona para o esporte em modo geral. Além disso, contamos com a ajuda dos pais, atletas e direção da escola”, declarou o treinador do La Salle, Vitor Façanha, o Botinho.

De acordo com o organizador da natação, Mike Moraes, o sucesso da modalidade rendeu garantia de mais empenho dos professores. “Os índices foram bons na parte técnica. Tivemos boas participações das escolas do Estado, com novos colégios participando. Muitos professores se comprometeram em continuar com o trabalho da natação nas escolas para o próximo ano”, declarou.

...e a torcida presente deu o brilho na arquibancada/Foto: Mauro Neto

…e a torcida presente deu o brilho na arquibancada/Foto: Mauro Neto

Balanço geral

Participaram da final do JEAs, na Capital, um total de 239 instituições, sendo 75 escolas do interior e 164 Manaus, somando 6.943 estudantes-atletas.

Do interior, estiveram em Manaus para a competição, 882 pessoas. O interior com mais participantes foi Parintins, com 128 atletas, seguido de Coari com 127, e Barcelos com 100. Desse montante, 869 indivíduos preencheram quatro hotéis da Cidades, sendo o da Vila Olímpica, que recebeu durante os 11 dias de jogo 150 atletas, o Taj Mahal Continental Hotel, Plaza Hotel e Hotel Brasil, todos localizados no Centro.

A modalidade que mais somou participantes no JEAs 2016 foi o Futsal, com 908 atletas. Após, veio o Handebol com 695 estudantes e o Voleibol com 547.

Ao todo, estiveram em disputa 16 modalidades pelo torneio interescolar, sendo Atletismo, Badminton, Basquete, Ciclismo, Futsal, Ginástica Rítmica, Handebol, Judô, Luta Olímpica, Natação, Tênis de Mesa, Vôlei de Quadra, Vôlei de Praia, Xadrez, Jiu-Jítsu e Futebol, essas dois últimos esportes foram inéditos na competição.

As seletivas para o JEAs 2016 iniciaram dia 23 de maio e envolveram 61 municípios, sendo Iranduba, Silves, Humaitá, Coari, Barcelos e Parintins como polos de disputa.

“É com muita alegria que testemunho mais um término dos Jogos Escolares do Amazonas. Desta vez, tive a oportunidade de participar deste evento ao lado dos professores e coordenadores que tanto se dedicaram para que o maior torneio interescolar do Amazonas saísse do papel. Há tempos atrás, eu vivia este campeonato como estudante, atleta, e agora – nos bastidores – o sentimento continua sendo de muita alegria por ver tantos jovens reunidos em prol do esporte. A nossa próxima batalha agora é o JEJ. Vamos apoiar os classificados para as competições na Paraíba e iremos trabalhar para o nome do Amazonas se destacar entre tantos estados”, destacou o titular da Sejel, Fabricio Lima.

Para a coordenadora geral dos Jogos, Lilian Valente, o sentimento é de alegria e gratidão. “Estou muito feliz com o resultado dos Jogos. Foram dias de batalha, mas também de crescimento. Posso afirmar que este foi o evento que mais as escolas públicas se destacaram e isso é bom, pois a competitividade e a rotatividade no pódio é importante, pois agrega valor e enriquecimento. Agradeço todos aqueles que contribuíram para o torneio acontecer e agora é focar nos outros desafios que vem pela frente”, ressaltou.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.