Amazonas Esportes

Argentina se complica contra Honduras e ´hermanos´voltam pra casa

Lozano marca de pênalti e manda hermanos de volta/Foto: Futura Press
Redação
Escrito por Redação
Lozano marca de pênalti e manda hermanos de volta/Foto: Futura Press

               Lozano marca de pênalti e manda hermanos de volta/Foto: Futura Press

Não durou muito o sonho do tricampeonato olímpico da seleção argentina de futebol. Hoje, quarta-feira, no Mané Garrincha, em Brasília, os hermanos entraram em campo precisando vencer para avançar às quartas de final da Rio-2016, mas, assim como Honduras, desperdiçou um pênalti, apenas empatou por 1 a 1 e deu adeus logo na primeira fase da competição, fato que não acontecia desde Tóquio-1964.
Com o empate, a Argentina termina a primeira fase da Olimpíada com apenas quatro pontos conquistados, mesmo número dos hondurenhos, mas com um gol a menos de saldo, o que resultou em sua eliminação. Honduras avança às quartas de final junto com Portugal, que já chegou classificado na última rodada do Grupo D.

Argentina pressiona, mas é Rulli quem fecha o gol

A Argentina foi superior na etapa inicial. Com mais volume de jogo, e vontade de jogar, já que Honduras estava satisfeita com o empate, os argentinos jogaram quase todo primeiro tempo no campo de ataque. No entanto, pecaram nas finalizações, graças ao goleiro Rulli, não foram ao vestiário atrás no placar.

Calleri e Vega tiveram as melhores oportunidades para a seleção argentina. Na primeira, aos 27min, após desvio em cobrança de falta, o zagueiro chegou livre na cara do gol, mas, sem cacoete de atacante, perdeu o tempo do lance e tentou de “chaleira”, mas mandou por cima da meta. Já o ex-atacante do São Paulo teve nos seus pés uma ótima chance. Aos 38, a zaga hondurenha falhou no corte e a bola sobrou livre, no meio da área, para o camisa 9, que bateu de primeira e mandou sobre o gol.

Depois de desperdiçar boas chances, o ditado “quem não faz, toma” quase se fez presente no Mané Garrincha. Já nos acréscimos, aos 47, Lozano recebeu ótimo cruzamento para testar firme, mas Rulli voou para fazer uma ótima defesa. Um minuto depois, García foi derrubado pelo próprio goleiro. Pênalti para Honduras. Acosta foi para a cobrança, mas o arqueiro acertou o canto e salvou os argentinos.

Mais dois pênaltis: Argentina perde, e Honduras, dessa vez, marca

Logo no início da etapa final, aos 9min, Ángel Correa teve a oportunidade de mudar o rumo do jogo. Calleri, ao tentar receber um cruzamento, foi puxado por Pereira dentro da área, e o juiz marcou pênalti. No entanto, o meia do Atlético de Madri tirou muito do goleiro, tirou tinta da trave, e mandou para fora.

Enquanto a Argentina pressionava, Honduras se posicionava para aproveitar dos rápidos contra-ataques. E conseguiu. Em um deles, aos 26, Elis recebeu na direita, invadiu a área e, após um corte, foi derrubado por Gianetti. Dessa vez, Acosta deixou para Lozano, que cobrou com perfeição, no alto, sem chances para Rulli.

Atrás do placar, a Argentina tentou, desorganizadamente, uma virada, mas sofreu ainda mais com contra-ataques e só não teve um placar mais adverso porque os hondurenhos desperdiçaram diversas oportunidades na cara do goleiro – uma delas ainda acertou a trave no final da partida. Em um dos últimos lances do jogo, em cobrança de falta, Mauricio Martínez empatou. Mas já era tarde para os argentinos.

FICHA TÉCNICA

ARGENTINA 1 X 1 HONDURAS
Local: Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF)
Data: 10 de agosto de 2016, quarta-feira
Horário: 13 horas (de Brasília)
Árbitro: Antonio Miguel Mateu Lahoz (ESP)
Cartões amarelos: Rulli, Vega, Ángel Correa, Gianetti e Ascacíbar (Argentina); Jhonatan Paz e Pereira (Honduras)
Gol: Lozano (Honduras); Martínez (Argentina)

ARGENTINA: Rulli; José Gómez, Gianetti, Vega e Alexis Soto (Cristian Espinoza); Ascacíbar (Giovanni Simeone), Mauricio Martínez, Pavón, Lo Celso e Ángel Correa; Calleri.
Técnico: Julio Olarticoechea

HONDURAS: Luis López; Marcelo Pereira, Jhonatan Paz e Allans Vargas; Brayan Ramírez (Kevin Álvarez), Allan Banegas (Rodolfo Espinal), Bryan Acosta e Brayan García; Alberth Elis, Romell Quioto (Jhow Benavídez) e Anthony Lozano.
Técnico: Jorge Luis Pinto (UOL)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.