Amazonas Política

Ari Moutinho fala sobre Combate à Corrupção, em encontro Nacional no RS

Conselheiro Ary Moutinho, presidente do TCE-Am/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação
Conselheiro Ary Moutinho, presidente do TCE-Am/Foto: Divulgação

                   Conselheiro Ary Moutinho, presidente do TCE-Am/Foto: Divulgação

Conselheiros de todo o país estiveram reunidos no Encontro Nacional do Instituto Rui Barbosa ‒ Região Sul, em Porto Alegre (RS), onde o conselheiro-presidente do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), conselheiro Ari Moutinho Júnior, falou sobre o Combate à Corrupção, em palestra que abordou sobre as ações desenvolvidas pela Corte de Contas amazonense, cujas informações prestadas à Rede de Controle no Estado resultaram em prisões de prefeitos em operações desencadeadas nos últimos meses.
O encontro, realizado na sede do Tribunal de Contas do Rio Grande do Sul (TCE-RS), nesta quinta-feira (1º/9) e sexta-feira (2), reúne conselheiros e técnicos dos Tribunais de Contas de todas as regiões do Brasil, que discutem sobre vários assuntos relacionados ao trabalho das ouvidorias e corregedoria dos TCEs.

Com o apoio de slides e para falar do combate à corrupção, o conselheiro Ari Moutinho Júnior enfatizou a parceria que o TCE-AM tem firmado diariamente com os órgãos da rede de controle do Estado — Procuradoria-Geral da União, Ministério Público Federal, Controladoria-Geral da União, Polícia Federal e Ministério Público do Estado do Amazonas e Advocacia Geral da União —, trabalhando em sintonia e dando acesso às informações do Sistema E-Contas referentes aos municípios e ao Estado.

“Os dados fornecidos pelo TCE-AM, por exemplo, foram fundamentais para a realização de operações no AM, como Cauxi, que prendeu um prefeito e revelou um rombo no orçamento do município”, comentou Ari Moutinho Júnior, ao observar que os órgãos de controle precisam estar na mesma frequência, para ter resultados satisfatórios contra a corrupção.

Na opinião do presidente do TCE-AM, as instituições precisam se falar mais, se comunicar com frequência e ter a consciência de que as informações colhidas não são propriedade do órgão, mas de todos que buscam o bem comum. Somente com esta troca de experiência, afirmou, será possível se fortalecer contra aqueles que não usam corretamente o dinheiro público. Na palestra, o conselheiro também falou sobre as suspensões de processos licitatórios do Amazonas, por indício de irregularidades, fruto do acompanhamento do TCE, para evitar danos aos cofres públicos e sobre os julgamentos das contas.

“Temos de nos fortalecer cada vez mais. Temos os técnicos capacitados e a sociedade já tomou conhecimento de que os TCEs podem contribuir, sim, nesse combate. Graças às reprovações de contas das Cortes de Contas, por exemplo, vários políticos já foram barrados pela Lei da Ficha Limpa em todo o país. Essa é apenas uma de nossas ações no combate à corrupção. Temos de nos fortalecer”, finalizou.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.