Entretenimento

Ativista dispara contra Luciano Huck: ‘ofereceu brasileiras a gringos’

Redação
Escrito por Redação

Popular na internet devido a publicações sobre direitos das mulheres e racismo, a ativista do movimento negro Luana Tolentino, também historiadora e professora, afirma ter se negado a participar de um quadro no “Caldeirão do Huck” sobre o Dia Internacional da Mulher. Em seu perfil no Facebook, ela diz ser contra a suposta conduta do programa em “espetacularizar pessoas que têm histórias de superação” e em “objetificar o corpo da mulher negra”.

“Para chegar até aqui tive que romper barreiras visíveis e invisíveis. Nesse percurso fui me arrebentando de tal maneira que às vezes tenho a sensação de que sou toda quebrada por dentro. São questões que precisam ser ditas, mas a produção e o Luciano Huck não tem o menor interesse em debatê-las ou enxergá-las”, postou.

“Não vejo o menor sentido em ser homenageada no dia 8 de Março pelo Luciano Huck, que durante a Copa usou o programa para oferecer brasileiras aos gringos, como se fôssemos mercadoria”, finalizou.

(NOTÍCIAS AO MINUTO)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.