Amazonas Política

Bancários buscam apoio em Tribuna Popular na CMM

Nindberg Santos, presidente sindicatos dos Bancários Am/Foto: Tiago Correa
Nindberg Santos, presidente sindicatos dos Bancários Am/Foto: Tiago Correa
Redação
Escrito por Redação

Durante Tribuna Popular, realizada na manhã de hoje, terça-feira (13), no plenário da Câmara Municipal de Manaus (CMM), por iniciativa do vereador Álvaro Campelo (PP), o presidente do Sindicato dos Bancários do Amazonas, SEEB/AM, Nindberg dos Santos, pediu apoio à Casa Legislativa na luta dos bancários, iniciada com a paralisação das atividades, desde a última terça-feira (06).
O representante da categoria destacou que os motivos da greve dos trabalhadores, visam à contratação de mais trabalhadores no setor, o fim da terceirização dentro dos bancos, plano de saúde e melhor distribuição da participação nos lucros, e o fim do assédio moral por parte dos banqueiros. “A nossa luta é verdadeira e honesta”, disse o presidente do SEEB/AM.

Indignado com um índice de 5,5% e piso de R$ 1,3 mil a R$ 2,5 mil proposta da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), Nindberg ressaltou que o lucro dos bancos no primeiro semestre deste ano, comparado ao primeiro semestre do ano passado já ultrapassou 30%, o aproximado a R$ 8 milhões, que se mantiver o valor no final do exercício será publicado no patrimônio final dos bancos a ordem de R$ 15 milhões.

“Eles tem oferecido em contrapartida, para reajustar o salário dos bancários um valor muito abaixo da inflação que hoje é de 9,98%. Em comparação com a inflação do ano passado de 7%, o nosso reajuste salarial foi de 8,5 e eles querem nos dá 5,5%” apenas, criticou Nindberg, observando que vai à contramão de tudo o que foi praticado nos últimos anos.

Na ocasião, Álvaro Campelo destacou, que mesmo não sendo competência da Câmara resolver o problema dos bancários, a Casa serve como um instrumento para ecoar as reivindicações dos trabalhadores. O parlamentar também destacou, que se, os projetos de lei aprovados na Casa fossem cumpridos, como a ‘Lei das Fila’, por exemplo, os bancos teriam o dobre de trabalhadores para atender melhor a população. “É rara a agencia bancária que cumpre o que determina a Lei das Filas. Esta Casa sempre estará ao lado dos trabalhadores”, completou Álvaro Campelo.

O presidente do Executivo Municipal, vereador Wilker Barreto (PHS), reiterou o apoio, ao pedir a compreensão da população porque a greve é justa e necessária. “Toda essa luta dos bancários é por melhores condições salariais, e quando toda a conversa e diálogo são exauridos é preciso chamar atenção dessa forma. A Casa fica de portas abertas para essa luta justa”, disse Wilker Barreto.

Mais apoio

“A greve é importante porque confronta um setor campeão na desigualdade, e que tem lucros bilionários, mas que paga pouco aos funcionários”, disse Waldemir José (PT). “A luta dos bancários não tem sido fácil. Há necessidade de entrar em greve para que haja negociação justa”, disse o vereador Mitoso (PSD). Também manifestaram apoio à luta dos trabalhadores, os vereadores, Socorro Sampaio (PP) e Professor Samuel (PHS).

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.