Esportes

Black Hawks e Cavaliers, um clássico com 10 anos de rivalidade no AM

Uma rivalidade de 10 anos no futebol americano/Foto: Mauro Neto
Uma rivalidade de 10 anos no futebol americano/Foto: Mauro Neto
Redação
Escrito por Redação

Tradicionais e vitoriosas equipes do Futebol Americano do Amazonas, Amazon Black Hawks e Manaus Cavaliers, se enfrentam, no domingo (09), pela primeira rodada do returno do campeonato da modalidade, duelo que acontece no campo do Sest Senat, na avenida Autaz Mirim, no Jorge Teixeira, na Zona Leste, às 09h00.
A partida é encarada como um clássico, que neste ano, completou uma década. Em 2006, depois de assistir o filme ‘Virando o Jogo’, que conta a história de superação de um atleta que saiu da liga universitária para a liga profissional, conquistando o título da temporada, um grupo de jovens passou a treinar no campo do Centro Social Urbano, o CSU do Parque 10.

Com mais adeptos surgindo, logo realizaram o primeiro Campeonato Amazonense e os times ganharam nomes. O primeiro título ficou com o extinto Manaus Hunter’s em 2006. No segundo campeonato, o Manaus Cavaliers ficou com a taça. Três anos depois, foi a vez do Amazon Black Hawks ser premiado com o título dentro do antigo estádio Vivaldo Lima.

Uma rivalidade de 10 anos no futebol americano/Foto: Mauro Neto

Uma rivalidade de 10 anos no futebol americano/Foto: Mauro Neto

“Em 2006 iniciamos com o futebol americano. Até aqui perdemos três finais para o Black Hawks, eles são tricampeões amazonenses, e venceram em cima da gente (2009, 2010 e 2011). Nós vencemos cinco vezes o campeonato (2007, 2008, 2012, 2013 e 2014)”, disse o presidente e jogador do Manaus Cavaliers, Philipe Lavor.

Clássico disputado há 10 anos, em Manaus/Foto; Mauro Neto

Clássico disputado há 10 anos, em Manaus/Foto; Mauro Neto

Atual líder da competição, os CAVS precisam da vitória no clássico para na próxima rodada confirmar a vaga na final com uma vitória.

“Se vencermos esse jogo, no próximo já estaremos na final da competição. Estamos com a equipe bem focada. Embora eles (Black Hawks) não estejam fazendo uma boa campanha, sempre crescem muita contra a gente. É um time perigoso”, advertiu Lavor.

Para o treinador do Black Hawks, Márcio Sato, a partida vai ser decidida nos detalhes e já orientou os jogadores para o clássico.

“É sempre um jogo bem competitivo. São dois times tradicionais, dois times que se conhecem há bastante tempo e cada um sabe o ponto forte e fraco do outro. Vai ser tipo um jogo de xadrez, quem identificar melhor a fraqueza do outro e executar a melhor jogada será o vencedor”, declarou.

Contra o lanterna

Na outra partida, às 14h00, o segundo colocado com quatro vitórias, North Lions, encara o lanterna, sem nenhuma vitória, Lobos FA.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.