Cultura

Boi Caprichoso apresenta coreografias populares de toadas do CD da Galera

Dança contemporânea agregada ao estilo caboclo é usada pelos coreógrafos.
Redação
Escrito por Redação

Coreografias de palco da trilha sonora do CD da Galera do Boi-Bumbá Caprichoso 2017 “A Poética do Imaginário Caboclo” serão conhecidas no curral Zeca Xibelão, durante a audição das toadas, neste dia 23 de dezembro. A equipe coreográfica responsável pela criação dos movimentos cênicos é formada por membros do Corpo de Dança Caprichoso (CDC) e Troup Caprichoso.

A partir da definição do repertório do CD da Galera, o Conselho de Arte iniciou a preparação das coreografias, com os respectivos coreógrafos: Samuel Gomes, Marcos Falcão, Erick Beltrão, Neto Beltrão, Sandro Assayag, Jorge Fontinele, Nataly Gonçalves, Markinho da Vaqueirada e Mônica Seffair. Essa é a primeira etapa de coreografias, conhecidas como de palco de curral.

O coordenador geral de coreografias do Caprichoso, Jair Almeida, revela que a proposta é fazer o público acompanhar e dançar as toadas de maneira prática, conforme pedido do presidente Babá Tupinambá, em atenção a sugestão de sócios e torcedores. “São coreografias com movimentos muito bonitos, mas simples. Então, essa é ideia e a primeira etapa coreográfica”, explica.

“Passamos as coreografias já montadas e verificamos dentro do corpo de dança qual a facilidade que se têm de assimilar essas coreografias. Em cima disso, nós fazemos a última ‘limpeza’ para depois apresentá-las no dia 23”, afirma Jair Almeida. De acordo com o presidente, as coreografias são voltadas para nação azulada dançar com o Boi Caprichoso.

Dança contemporânea agregada ao estilo caboclo é usada pelos coreógrafos.

Babá Tupinambá acompanhou de perto os coreógrafos na criação dos movimentos e a expectativa é mostrar as coreografias das 13 toadas na audição da trilha sonora do CD da Galera. “A intenção, justamente, é que a galera vá para o curral dançar nossas toadas. Nosso principal objetivo é atender o público em geral, que é a massa azul e branca”, destacou.

Segundo o coordenador geral, os coreógrafos seguiram o que cada toada pede. “Usamos movimentos já conhecidos do público. Um movimento ou outro tem característica inovadora, mas com movimentos fáceis. Aumentamos as repetições deles dançadas para que o público possa aprender mais rápido, mantendo o dois pra lá e dois pra cá”, assegurou Jair Almeida.

Amor ao Caprichoso, processo organizacional, apoio do Conselho de Artes e proximidade do presidente com os coreógrafos foram fatores motivacionais de inspiração. “Isso nos dá segurança. Com essa infraestrutura e segurança, nós unimos com a inspiração da arte pela dança. Utilizamos estilos de dança contemporânea, agregada ao estilo popular caboclo”, concluiu o coordenador.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.