Amazonas Política

Bombeiros civis não serão demitidos por empresas do PIM, garante Cidade

Deputados reunidos discutem situação os bombeiros civis/Foto: Divulgação
Deputados reunidos discutem situação os bombeiros civis/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

Em reunião realizada na Assembleia Legislativa do Amazonas, o deputado Orlando Cidade (PTN) garantiu que não haverá demissões, por conta do Projeto de Lei que desobriga a presença de bombeiros civis nas empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM), informação que foi confirmada pelos representantes da Federação das Indústrias, que estiveram reunidos com o líder do governo David Almeida (PSD) e com o deputado Luiz Castro (REDE).
Segundo Cidade, a matéria aprovada na última terça-feira (06), não tem a intenção de prejudicar nenhum trabalhador, e sim fazer ajustes e adequações da legislação já existente, e refere-se, exclusivamente, às indústrias do PIM, que devem cumprir o que determina a legislação trabalhista de cunho federal como: Brigada de incêndio, contratação de bombeiros civis, nos termos da Lei Federal 11.901/2011 e das normas da ABNT 14608 e 14277.

“Ninguém vai perder seu emprego. O que houve foi má interpretação do projeto de lei. O emprego dos bombeiros civis já é assegurado por legislação federal e as empresas já cumprem as normas de Segurança e Saúde do Trabalho. As indústrias instaladas no PIM já adotam dezenas de medidas preventivas inclusive tendo em seu quadro de funcionários, brigadistas e o próprio bombeiro civil”, declarou Cidade ressaltando que a matéria trata especificamente das indústrias do Polo Industrial e não de casas de show.

De acordo com o presidente do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Manaus, Athaydes Mariano Félix, as empresas instaladas no polo industrial já cumprem a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que impõe que as Indústrias adotem procedimentos de segurança, segundo as atividades operacionais, concedendo adicionais aos profissionais que enfrentam riscos e perigos, o que segundo ele, evita as possíveis demissões já que as empresas necessitam desses profissionais para garantir a segurança no local de trabalho.

“Procuramos harmonizar a legislação existente com a federal, que já era cumprida pelas empresas. Esse nova lei, trouxe um “plus” a mais para os empresários, já que uma fala de metro quadrado e a outra em percentual de empregados. As empresas investem em segurança já que o sinistro custa caro, então cada um procura manter as normas de segurança que mais se adéqua. O que eu posso afirmar é que não vai haver demissão por que ninguém foi contratado. Queremos procurar um ponto de equilíbrio”, afirmou Felix.

O líder do governo David Almeida, que participou da reunião, informou que marcou para amanhã (13), uma reunião entre os representantes da Federação das Indústrias e os representantes dos bombeiros, para discutirem alguns pontos que ainda não estão esclarecidos. “Já tomei minha posição e vou pedir ao governador que analise com cautela o projeto de lei que já seguiu para sanção. Se vou ser atendido eu não sei, mas quero discutir amplamente os pontos que ainda não foram esclarecidos”, disse Almeida.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.