Amazonas Política

Campanha ´Diga não ao Fogo´ passará por 22 municípios do Amazonas

Técnica do Ipaam faz palestra sobre a campanha/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação
Técnica do Ipaam faz palestra sobre a campanha/Foto: Divulgação

                        Técnica do Ipaam faz palestra sobre a campanha/Foto: Divulgação

A campanha de educação ambiental “Diga não ao Fogo”, vai estar esta semana nos municípios de Caapiranga, a 134 quilômetros em linha reta de Manaus, hoje, quarta e amanhã quinta-feira; e em Iranduba, a 27 quilômetros da capital, nos dias 05 e 06 de agosto.
O trabalho executado por técnicos da gerência de Educação Ambiental do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), está previsto para atingir 22 municípios do Estado, realizando palestras, mobilizações e distribuição de cartazes em escolas, associações de moradores, sindicatos, órgãos públicos e demais agentes multiplicadores sobre os danos das queimadas e consequências no período de estiagem.

A ideia é chegar aos municípios com mais registros de queimadas, principalmente da Região Metropolitana de Manaus e municípios adjacentes, além do Sul do Amazonas. Ainda estão previstas ações em Autazes, Careiro da Várzea, Castanho, Manaquiri, (respectivamente a 113, 25, 88, 60 quilômetros de Manaus, em linha reta). Nos municípios de Rio Preto da Eva e Manacapuru (respectivamente a 57 e 68 quilômetros da capital, em linha reta) a campanha será remarcada.

A gerência de Educação Ambiental do Ipaam realizou ações entre os dias 25 e 29 de julho nos municípios de Itacoatiara e Urucurituba (176 e 208 quilômetros de Manaus) para sensibilizar os moradores das cidades e da área rural sobre os prejuízos das queimadas no período da estiagem, alertando sobre os fenômenos climáticos, consequências para o meio ambiente e para a saúde coletiva.

De acordo com a técnica do Ipaam, que coordenou a campanha, Vandete Costa, a aceitação nos municípios foi boa. “Realizamos ação voltada para as lideranças das cidades e todos se mostraram interessados.” Como sinal de sensibilização, segundo a técnica, alguns agricultores estão juntando os resíduos agrícolas para usarem como adubo orgânico e estão tendo bons resultados, ao invés de queimarem o material e poluírem a atmosfera.

A técnica ambiental ressaltou que as palestras nas escolas geram um retorno muito positivo, uma vez que as crianças captam a mensagem rapidamente e, de certa forma, educam os pais e familiares. “As crianças são curiosas e multiplicadoras de boas maneiras, elas acabam sensibilizando os pais, porque a educação ambiental é uma questão de mudança de hábito”, afirmou.

Repressão – O Ipaam aplicou, nos seis primeiros meses do ano, R$ 541.402,68 em multas por atividades ambientais ilícitas associadas à ocorrência de queimadas em 10 municípios do Amazonas: Autazes, Barcelos (399), Careiro, Iranduba, Manacapuru, Manaus, Presidente Figueiredo (117), Rio Preto da Eva, São Sebastião do Uatumã (247) e Santa Izabel do Rio Negro (630). Os números entre parênteses são as distâncias, em quilômetros, entre os municípios e a capital, em linha reta.

O campeão de flagrantes é Manacapuru, onde os fiscais do Ipaam registraram 21 autos de infração que somaram R$ 119.688,28 em multas aplicadas a diversos infratores. Em seguida aparece Manaus, com oito autos de infração e R$ 77.271,40 em multas acumuladas.

Neste mesmo período foram registrados 1.501 focos de incêndio no Amazonas, apresentando um aumento no mês de junho, início da estiagem ou “verão amazônico”.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.