Amazonas Esportes

Capotagem e fogo, em GP com vitória de Rosberg na Austrália

É de Rosberg primeiro GP do Ano/Foto: AP
É de Rosberg primeiro GP do Ano/Foto: AP
Redação
Escrito por Redação

Um GP movimentado na Austrália marcou o início da temporada de 2016 da Fórmula 1: Nico Rosberg acertou na estratégia e bateu Sebastian Vettel na luta pela vitória, enquanto o campeão das duas últimas temporadas, Lewis Hamilton, largou mal mas se recuperou usando a mesma tática do companheiro de Mercedes para ser o segundo. Vettel chegou a pressionar Hamilton nas voltas finais, mas errou e teve de se contentar com o terceiro lugar após liderar a maior parte da prova.
A corrida chegou a ficar paralisada por 20 minutos após forte batida de Fernando Alonso, que capotou com sua McLaren, e saiu ileso. Já Kimi Raikkonen vinha com boas chances de pódio até sua Ferrari parar nos boxes em chamas. Outro destaque do GP da Austrália foi Romain Grosjean, chegando em sexto lugar e pontuando com a nova equipe Haas logo na primeira corrida.

Entre os brasileiros Felipe Massa esteve entre os pilotos que acertaram na estratégia e foi o quinto colocado, enquanto Felipe Nasr terminou em 15º.

A primeira largada foi abortada, após Daniil Kvyat – que já havia tido uma classificação ruim – ficar parado no meio da pista e sequer conseguir alinhar. Quando as luzes vermelhas se apagaram, as Mercedes largaram mal, especialmente Hamilton, que caiu para sexto. Sebastian Vettel pulou na ponta e trouxe consigo o companheiro de Ferrari Kimi Raikkonen.

Rosberg caiu de segundo para terceiro, diante de Max Verstappen, Felipe Massa, Hamilton, Carlos Sainz, Nico Hulkenberg, Daniel Ricciardo e Fernando Alonso. Felipe Nasr se manteve em 17º.

Quando o uso do DRS foi permitido, a partir da terceira volta, Hamilton superou Massa e Ricciardo passou por Hulkenberg. Na oitava volta, Carlos Sainz foi o primeiro do top 10 a ir aos boxes, abrindo a chance para Ricciardo ir para cima e ultrapassar Massa, que foi aos boxes para trocar os macios pelos supermacios na volta 12. Enquanto isso, Hamilton ficava travado atrás de Verstappen. “Não consigo passar esse cara”, avisou o tricampeão. Mas a opção da Mercedes foi mantê-lo na pista.

A prioridade do time é de Rosberg, que faz a primeira parada na volta 13 e retorna à pista de forma agressiva para não ficar preso atrás de uma Force India. Isso foi fundamental para o alemão, que por pouco não subiu para a liderança quando Vettel parou, na volta seguinte. Os dois estavam com estratégias distintas: o piloto da Mercedes colocou pneus macios e o da Ferrari, manteve os supermacios, utilizando o jogo que ele economizou na classificação.

Vettel, inclusive, chegou a ultrapassar Hamilton na pista, uma vez que o inglês tinha pneus desgastados. Na volta seguinte, o tricampeão foi aos boxes, assim como Lewis Hamilton, que optou pelos médios.

Uma batida impressionante de Fernando Alonso com Esteban Gutierrez. O espanhol tentou passar o mexicano por fora na curva três e bateu, capotando duas vezes. A McLaren parou de ponta cabeça, mas o piloto conseguiu sair sozinho. A batida provocou uma longa bandeira vermelha para a limpeza da pista.

A corrida foi reiniciada com Vettel em primeiro, seguido por Rosberg, Rakkonen, Ricciardo, Verstappen, Sainz Hamilton, Massa, Grosjean e Hulkenberg.

Porém, a Mercedes decidiu colocar pneus médios também no carro de Rosberg, indicando que tentaria ir até o final sem parar mais, ao contrário da Ferrari.
Com o motor em chamas, Raikkonen abandonou na 23ª volta, enquanto Vettel abria na liderança, mas não o suficiente para fazer sua estratégia funcionar: o alemão parou na volta 35, na quarta colocação, e colocou os pneus macios para tentar ir para cima das Mercedes no final.

Enquanto isso, Hamilton se livrava do tráfego das duas Toro Rosso, que pararam nos boxes, e se aproximava do segundo colocado Daniel Ricciardo. O australiano também parou, alçando o inglês ao segundo posto, com Vettel em terceiro e Massa em quarto. O brasileiro também usou a tática de colocar os pneus médios após a bandeira vermelha. Porém, não conseguiu segurar Ricciardo que, com pneus novos, o ultrapassou na briga pelo quarto lugar com 10 voltas para o final.

Mais rápido com os pneus macios novos, Vettel chegou em Hamilton com cinco voltas para o final. O alemão, contudo, cometeu um erro com duas voltas no final, fritando os pneus e saindo da pista. Mesmo mantendo o terceiro posto, o piloto da Ferrari perdeu contato com a Mercedes.

Com isso, Rosberg confirmou a vitória, seguido por Hamilton, Vettel, Ricciardo, Massa, a grande surpresa Grosjean, Hulkenberg, Bottas – que chegou a cair para 17º no começo da prova – Sainz e Verstappen. A Fórmula 1 volta daqui a duas semanas, com o GP do Bahrein.
Classificação final do GP da Austrália:

1) Nico Rosberg (ALE/Mercedes)
2) Lewis Hamilton (ING/Mercedes) – +8s
3) Sebastian Vettel  (ALE/Ferrari) – + 9,6s
4) Daniel Ricciardo (AUS/Red Bull) – + 24s
5) Felipe Massa (BRA/Williams) – + 58,9s
6) Romain Grosjean (FRA/Haas) – + 72s
7) Nico Hulkenberg (ALE/Force India) – + 74s
8) Valtteri Bottas (FIN/Williams) – +75,1s
9) Carlos Sainz (ESP/Toro Rosso) – + 75,6s
10) Max Verstappen (HOL/Toro Rosso) – +76,8s
11) Jolyon Palmer (ING/Renault) – + 83,3s
12) Kevin Magnussen (DIN/Renault) – + 85,6s
13) Sergio Perez (MEX/Force India) – + 91,6s
14) Jenson Button (ING/McLaren) – + 1 volta
15) Felipe Nasr (BRA/Sauber) – + 1 volta
16) Pascal Wehrlein (ALE/Manor) – + 1 volta

Não completaram a prova:

Marcus Ericsson (SUE/Sauber)
Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari)
Rio Haryanto (ID/Manor)
Esteban Gutierrez (MEX/Haas)
Fernando Alonso (ESP/McLaren)
Daniil Kvyat (RUS/Red Bull)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.