Brasil Política

Chefes de Estados chegam ao Brasil para reunião de cúpula do Mercosul

Dilma recebe Nicolás Maduro, presidente da Venezuela/Foto: Felipe Matoso
Dilma recebe Nicolás Maduro, presidente da Venezuela/Foto: Felipe Matoso
Redação
Escrito por Redação

Os Líderes dos países que compõem o Mercosul chegaram no início na manhã de hoje, sexta-feira (17), à cúpula dos chefes de Estado do bloco econômico. Vão se reunir em Brasília os presidentes Dilma Rousseff, Cristina Kirchner (Argentina), Tabaré Vázquez (Uruguai), Horácio Cartes (Paraguai) e Nicolás Maduro (Venezuela).
A Cúpula do Mercosul ocorre no Palácio do Itamaraty, sede do Ministério das Relações Exteriores. De acordo com o governo brasileiro, o objetivo da cúpula deste ano é “discutir temas como integração produtiva, promoção comercial, atração de investimentos e micro e pequenas empresas.” O último encontro do bloco econômico ocorreu em dezembro do ano passado, na cidade de Paraná (Argentina).

Antes de dar início à reunião de trabalho da Cúpula do Mercosul, Dilma se reuniu com o presidente de Guiana, David Granger. Os presidentes do bloco chegara ao Itamaraty pela entrada principal e seguiram para a Sala Ruy Barbosa, onde deram início à reunião.

De acordo com a programação divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores, os presidentes do bloco ainda discursam na Sessão Plenária e almoçam juntos. Além disso, a presidente Dilma fará declaração à imprensa sobre a cúpula.

Embora o encontro dos presidentes ocorra nesta sexta, outros eventos que ocorreram nos últimos dias também fizeram parte da Cúpula do Mercosul. Nesta quinta (16), por exemplo, a presidente Dilma se reuniu com centrais sindicais dos países do Cone Sul (Argentina, Brasil, Chile, Paraguai e Uruguai).

Também nesta quinta, os chanceleres e ministros das finanças dos cinco países do bloco se reuniram para discutir acordos a serem assinados em diversas áreas. Ao longo desta semana, também em Brasília, ocorreu a Cúpula Social do Mercosul e, em Belo Horizonte (MG), o V Fórum Empresarial do bloco econômico.(G1)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.