Amazonas Política

CMM discute revitalização do antigo prédio da Faculdade de Direito do AM

Primeira Faculdade de Direito do AM/Foto: Arquivo
Redação
Escrito por Redação

A Câmara Municipal de Manaus (CMM) vai realiza hoje (3), audiência pública, por iniciativa do vereador Mário Frota, para debater a revitalização do antigo prédio da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), patrimônio histórico de Manaus, localizado na Rua Coronel Sérgio Pessoa, ao lado da Praça dos Remédios, no Centro da cidade.
A iniciativa para recuperação do prédio, que foi danificado com o tempo por falta de manutenção, é do advogado Júlio Antonio Lopes, que criou o movimento “Salve a Velha Jaqueira”, com o objetivo chamar a atenção das autoridades e da sociedade civil constituída para a necessidade de se revitalizar ‘A Velha Jaqueira’ – como também ficou conhecida a faculdade que já formou várias gerações de operadores do Direito no Amazonas.

De acordo com Júlio Antônio Lopes, a recuperação e restauração do prédio onde funcionou a antiga Faculdade de Direito é de fundamental importância para a história do Amazonas. “Sou egresso da Ufam, filho da Velha Jaqueira e morei nas proximidades da Praça dos Remédios. Assim como eu, muitas pessoas guardam uma relação sentimental muito grande com aquele prédio”, explica Júlio.

O vereador Mário Frota, que se formou em Direito estudando no prédio da Jaqueira, lembra que a faculdade foi construída entre 1904 e 1907, tendo sido a primeira instituição de ensino superior de Direito no País. Antes de entrar para a política o parlamentar foi presidente do Centro Acadêmico da Faculdade de Direito do Amazonas (Ufam), em 1972. No ano seguinte foi presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) e, em 1974, foi eleito deputado federal, pelo MDB, com a maior votação. Foi reeleito em 1978, tendo sido o mais votado do pleito. “É muito importante essa iniciativa do Julio para a preservação desse prédio onde comecei a construir a minha história. Temos que dar valor a esse patrimônio que já foi um dos principais instrumentos para a formação de juristas no nosso Estado”, lembra Mário.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.