Amazonas Política

CMM reúne órgãos ambientais para tratar sobre lixeiras clandestinas

Lixeira clandestina no Puraquequara/Foto: Arquivo
Redação
Escrito por Redação

A Comissão de Meio Ambiente da Manaus da Câmara Municipal de Manaus (CMM) realiza, amanhã (10), às 14h00, na sala das comissões, uma reunião com órgãos públicos responsáveis pela limpeza e conservação do meio ambiente, para tratar sobre o problema das lixeiras clandestinas na cidade, dando continuidade a reunião de trabalho realizada há três meses, pelo presidente da Comissão de Meio Ambiente, vereador Everaldo Farias (PV), que busca o encerramento das atividades irregulares de lixões e lixeiras viciadas espalhadas por Manaus.
Estarão presentes à reunião os representantes do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM) e das secretarias municipais de Meio Ambiente e Sustentabilidade e de Limpeza e Serviços Públicos (Semulsp), além dos vereadores membros da comissão. Em sessão ordinária realizada na CMM nesta manhã (09), o vereador Everaldo Farias afirmou, em seu discurso na tribuna, que o objetivo da reunião é integrar o IPAAM no combate aos lixões clandestinos que estão localizados no Distrito Industrial e são licenciados pelo órgão.

“Vamos dar continuidade ao combate a essa atividade ilegal. A Comissão tem tido o apoio dos vereadores que a compõe pra resgatarmos a saúde na nossa cidade. Já temos os nomes das empresas que realizam atividade de despejo em áreas inapropriadas da cidade, agora vamos buscar o apoio dos órgãos responsáveis para fechar essas empresas e impedir o retorno dessas atividades”, assegurou.

Ainda durante seu discurso, o presidente da Comissão afirmou que irá apurar, ainda, os casos de empresas limpa-fossa que descartam seus resíduos clandestinamente, ou que contratam empresas que não realizam o serviço de acordo com os padrões ambientais.

“Das 35 empresas que realizam a atividade de coleta, apenas 5 estão reguladas. Ou seja, temos mais de 30 empresas jogando dejetos nos igarapés de Manaus e isso é um absurdo. Já tivemos um avanço na nossa investigação e o próximo passo é identificar essas empresas, entender o por que elas faturam o que faturam e pedir o fechamento imediato das mesmas. Essa será a nossa luta a partir de agora”, afirmou o parlamentar.

No mês passado, Everaldo solicitou da Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp) um relatório sobre as empresas que há mais de um ano vinham sendo notificadas por descumprimento da legislação. O vereador encaminhou o caso ao procurador-chefe do Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), Fábio Monteiro, que prometeu abrir um inquérito para apurar as denúncias.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.