Amazonas Formal & Informal

Com saída do Ministério Eduardo Braga perderia 80 cargos públicos no AM

...e agora, Ministro Braga?/Foto: AS
...e agora, Ministro Braga?/Foto: AS
Redação
Escrito por Redação

No balcão de negócio que foi montado para barrar o impeachment da presidente Dilma Roussef, uma mudança pode envolver dois políticos amazonenses.  Com a saída do PMDB da base de apoio ao governo, é quase certo que quem deve substituir  Braga no Ministério de Minas e Energia é o  deputado federal e ex-ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento (PR).
Mas apesar de ser cobrado pela cúpula do PMDB e até pela presidente Dilma para que deixe o governo, Eduardo Braga, resiste e diz que não quer de jeito nenhum deixar o Ministério.

O apego de Braga ao cargo tem uma explicação simples: além de perder poder, ele perderia nada mais nada menos do que 80 cargos públicos, que são pessoas de sua confiança que ocupam cargos em primeiro e segundo escalão de órgão públicos do governo federal no Amazonas.

A saída de Eduardo Braga do governo, seria mais um retrocesso para quem até então tinha o sonho de acumular o máximo de poder possível que começaria com ele próprio assumindo o governo do Estado em substituição ao governador José Melo.

Só que ele não contava com a decisão da presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TER-AM), desembargadora Socorro Guedes, que não aceitou pedido feito pela defesa de Braga que pedia o afastamento de Melo.

Assumindo o Governo do Estado – ou permanecendo no Ministério de Minas e Energia – Braga ainda ficaria com a Suframa, cuja superintendente Rebeca Garcia foi sua indicação.  Eduardo Braga contava ainda tomar a prefeitura de Arthur Neto nas eleições desse ano usando candidatos campeões de votos como Marcos Rotta (PMDB) e  Hissa Abraão, que recentemente trocou o PHS pelo PDT, cujo cacique maior é o ex-governador.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.