Amazonas Política

Combate às queimadas é reforçado no Amazonas com união de GTs

Encontro definiu medidas para reforçar combate às queimadas/Foto: José Narbaes
Encontro definiu medidas para reforçar combate às queimadas/Foto: José Narbaes
Redação
Escrito por Redação
Encontro definiu medidas para reforçar combate às queimadas/Foto: José Narbaes

         Encontro definiu medidas para reforçar combate às queimadas/Foto: José Narbaes

As ações que estão sendo realizadas contra focos de calor no Amazonas, ganharam reforço, a partir de hoje, terça-feira (20), com a fusão do grupo de trabalho (GT) de monitoramento da qualidade do ar de Manaus e da Região Metropolitana, com o GT de prevenção, controle e combate às queimadas e incêndios florestais no Estado.

Os dois grupos mantinham agendas separadas, sob coordenação da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) mas, a partir de hoje passarão a trabalhar de forma conjunta, para a orientação de tomadas de decisão e criação de políticas públicas de prevenção e mitigação dos impactos de queimadas e desmatamento.

A fusão ocorreu durante a reunião de GT de queimadas, realizada na sede da Sema, na zona Centro-Sul de Manaus, ideia que pretende transformar o grupo em um comitê estadual.

De acordo com o titular da Sema, Antonio Stroski, a fusão é estratégica para a execução do “Plano de prevenção, controle e combate às queimadas” do Governo do Estado, e intensificará o compartilhamento de dados. “O combate às queimadas é constante e várias instituições parceiras estão empenhadas nesse desafio com o Estado nos dois grupos. As agendas dos grupos se entrelaçam e é natural que a integração ocorra. O trabalho de cada membro é fundamental para embasar tomadas de decisão e isso acabou abrindo um leque de um fórum de orientação que coloca o grupo unificado a serviço do Estado”, destacou.

Apesar da integração dos grupos, o planejamento definido anteriormente permanece. Na agenda da GT da qualidade do ar, por exemplo, está definido a emissão de boletins diários sobre as condições da qualidade do ar, quando as estações de monitoramento estiverem em operação. O plano de trabalho deve ser executado em três anos com início das operações em 2017. Ele irá subsidiar o planejamento contra queimadas com dados em tempo real. A base do GT será concentrada na Sala de Situação da Sema, onde já é feito o monitoramento via satélite de focos de calor, velocidade dos ventos, pluviosidade, entre outros, com informações disponibilizadas pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Serão seis estações de medição da qualidade do ar. A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) já tem duas em operação, a Universidade Federal do Amazonas (Ufam) tem uma, e as outras três devem ser adquiridas por meio de projeto que será submetido para captação de recursos e aprovação do Fundo Estadual de Meio Ambiente (Fema), no Conselho Estadual de Meio Ambiente (Cemaam).

Memória

O GT de monitoramento do ar foi criado em junho deste ano com a assinatura de um termo de cooperação envolvendo oito instituições incumbidas de realizar a medição da quantidade real de poluentes e nível de toxidade dos gases na atmosfera da região. Já o GT de Queimadas foi criado no ano passado e formalizado este ano.

Visitas

As ações do GT queimadas, no último mês, resultaram na criação e implantação de Comitês Municipais de Combate a Queimadas e Incêndios Florestais, além do plano municipal contra queimadas com as estratégias de trabalho adequadas à realidade de cada município, em Lábrea, Apuí, Manicoré, Humaitá, Novo Aripuanã, Borba e Nova Olinda do Norte. A ação integra a agenda de visitação aos municípios da Região Metropolitana de Manaus (RMM), Sul e Baixo Amazonas realizada pela equipe técnica da Sema, Ipaam, Corpo de Bombeiros, entre outros membros do GT.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.