Mundo

Comissão Europeia libera 20 milhões de euros para crise migratória de Calais

Calais enfrenta crise migratória sem precedentes/Foto: Reuetrs
Redação
Escrito por Redação

A Comissão Europeia anunciou hoje (04), que disponibilizará 20 milhões de euros para a França gerir a crise migratória em Calais, depois de já ter aprovado 27 milhões de euros para o Reino Unido. Nas últimas semanas, milhares de imigrantes tentaram atravessar o Eurotúnel, que liga o território francês ao britânico sob o Canal da Mancha.
Esses recursos somam-see aos 266 milhões de euros já disponibilizados para França pelo Fundo de Asilo, Imigração e Integração, além dos 370 milhões reservados para o Reino Unido para o período 2014-2020.

O comissário da Imigração europeu, Dimitris Avramopoulos, informou que França e Reino Unido não solicitaram assistência adicional.

Dimitris Avramopoulos falou hoje ao telefone com os ministros do Interior francês, Bernard Cazeneuve, e britânico, Theresa May, para discutir a situação em Calais e medidas para que os dois países possam enfrentar o desafio.

De acordo com Avramopoulos, o gabinete europeu de apoio ao asilo pode ajudar Paris e Londres a processar os pedidos de asilo.

Segundo ele, a Agência de Controle das Fronteiras Externas da União Europeia (Frontex) pode contribuir para identificação e registro de migrantes, colaborar com os países de origem e de trânsito, de modo a acelerar a emissão de documentos de viagem para o regresso, assim como coordenar e financiar operações de devolução conjuntas.

O comissário manifestou “plena confiança” na capacidade de Londres e Paris para “gerir a situação” em Calais, no Norte da França. Acrescentou que a situação em Calais é “outro importante exemplo da necessidade de maior solidariedade e responsabilidade na forma como tratamos a pressão migratória na Europa”.

“Todos necessitamos de fazer mais” e a União Europeia deve atuar com “unidade para fazer frente a um desafio que vai além das fronteiras nacionais”, ressaltou o comissário. Dimitris Avramopoulos destacou que a União Europeia também tem de fazer um maior esforço para cooperar com países de origem e de trânsito, sobretudo no que diz respeito aos acordos de devolução e readmissão.

Ele disse esperar “resultados concretos” da cúpula com países africanos, que será realizada entre 11 e 12 de novembro em La Valeta, Malta.(Agência Brasil)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.