Amazonas Economia

Como iniciar o ano com as contas equilibradas, na visão do Corecon-Am

Corecon-Am dá dicas para começar o ano/Foto: Reprodução
Corecon-Am dá dicas para começar o ano/Foto: Reprodução
Redação
Escrito por Redação

O planejamento financeiro de despesas e a aposta no empreendedorismo individual, são apontados como principais “armas” para sair do “vermelho”, em 2016, segundo o Conselho Regional de Economia do Amazonas (Corecon-AM).
“O essencial é começar agora e não deixar pra depois. Desde já trace objetivo para 2016 e não espere o dia 31 para fazer promessas vazias. Seja realista. Liste o que você não conseguiu fazer este ano, quando pretende realizar e quanto precisará para isso, a partir daí fica mais fácil economizar e trabalhar em uma forma de melhorar  a receita”, destacou o presidente do Corecon-AM, Marcus Evangelista.

A dica para iniciar o planejamento financeiro, declara Evangelista, é anotar rigorosamente as despesas e as receitas da família, ao longo de um mês. A lista deve conter desde parcelas da mensalidade das escolas do filho até o pão comprado na padaria perto de casa. Assim, será possível identificar os gastos excessivos. “Isso pode ser feito via aplicativo de celular, é bem mais prático e está sempre a mãos”, disse.

Ele informou ainda sobre a importância de definir as contas fixas. “Analise se as despesas fixas como moradia, aluguel ou financiamento da casa própria, transporte e educação correspondem a, no máximo, 50% do rendimento líquido da receita familiar. Junte a família para apresentar os dados. Essa é uma forma de inserir a educação financeira no lar”, completou Evangelista.

Planejar objetivos financeiros seja de curto, médio ou longo prazo ajuda a manter o foco e aproveitar melhor o salário do mês. Para curto prazo, pense em algo para ser realizados em até um ano, pode ser uma viagem ou a compra de produto com um valor mais elevado. Metas de médio prazo levam até 5 anos para serem realizadas, como a compra ou troca de carro. Planos de longo prazo, daqui a 10 anos, podem incluir a aposentadoria ou compra da casa própria.

O procedimento de cortar gastos é também de suma importância  para garantir que novas dívidas não serão feitas. Os excessos geralmente correspondem a 30% das despesas das famílias. Após cortar os gastos, use a renda que seria utilizada para compras desnecessárias para investir na Renda Fixa, um dos investimentos mais indicados para o momento. Use ao menos 10% do seu rendimento líquido para investir mensalmente com regularidade.

Empreendedorismo

Se faltam recursos em caixa para pagar contas e deixar o orçamento doméstico no “azul” a saída pode ser a aposta no próprio negócio.  Com o desemprego em alta em todo o País, a aposta no empreendedorismo individual pode ser a saída para driblar a crise e o risco de recessão em 2016.

“Se o novo empresário souber escolher o produto e/ou serviço adequado para a região que irá trabalhar bem como analisar a necessidade do público alvo, a aposta no próprio negócio pode até ultrapassar os ganhos de um trabalhador assalariado após um tempo de investimento. Contudo, os desafios são grandes e é preciso planejar”, apontam o presidente do Corecon-AM, Marcus Evangelista, e o vice-presidente da entidade, Nelson Azevedo.

De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados periodicamente pelo Ministério do Trabalho e Emprego e Previdência Social, o Estado do Amazonas perdeu somente no mês de outubro 3.769 postos de trabalho. O déficit na geração de empregos no acumulado de 2015 totaliza 24,9 mil no Estado.

Já o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) dá conta que a cada 100 empresas abertas no Brasil, pouco mais de 75 sobrevivem ao primeiro ano, índice que vale também para o Amazonas. “A maioria das pessoas que pensam em abrir um negócio, muitas vezes, é tomada pelo sentimento de medo por ser um grande desafio. Porém, o que muitos esquecem é de se concentrar no principal, que é elaborar bom planejamento estratégico e financeiro”, disse o presidente do Corecon-AM.

Para Evangelista e Azevedo, os novos empreendedores precisam compreender que os desafios não podem significar impedimento para abrir o negócio próprio.  “Ao fazer isso os prejuízos serão menores e o sucesso mais real, bem como saber a importância de conhecer o cliente, porque assim a probabilidade do sucesso é maior”, frisou Evangelista. “Saber  o tamanho do público-alvo é importante, mas não se pode esquecer que é preciso entender comportamento, hábitos e rotinas de quem você quer atingir”, apontou Azevedo.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.