Cultura

Concerto da Amazonas Jazz Band homenageia Daniel Barry

Amazonas Jazz e a homenagem a Daniel Barry/Foto: Divulgação
Amazonas Jazz e a homenagem a Daniel Barry/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

O compositor, regente e trompetista que já visitou a capital amazonense várias vezes, declarando seu amor pela região por meio da música, é homenageado pela Amazonas Jazz Band.
“A Música de Daniel Barry” é o nome do mais novo concerto da Orquestra Amazonas Jazz Band, que celebra e homenageia o compositor e regente Daniel Barry. Marcado para começar às 20h desta sexta-feira, dia 21, no Teatro Amazonas, o espetáculo promovido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura, faz parte das comemorações de 120 anos do teatro-símbolo do Estado.

Na noite de honra, o Maestro Rui Carvalho é quem rege a homenagem, apresentando ainda um pouco da história e carreira de Barry, contextualizando as composições por meio de muita interação com o público durante o espetáculo. Considerado como pós-moderno, o repertório conta com grandes composições como “Cry Out Loud”, “Sain Cecilia’s Day” e “The Happy Cemetery”. A entrada é gratuita e a classificação livre.

Amazonas Jazz e a homenagem a Daniel Barry/Foto: Divulgação

Amazonas Jazz e a homenagem a Daniel Barry/Foto: Divulgação

Para o maestro Rui Carvalho, é uma honra para a Amazonas Jazz Band interpretar a música de Barry, uma vez que ele também já compôs exclusivamente para a Orquestra. “O Daniel é um amante declarado da Amazônia, tanto que já esteve aqui várias vezes, no Festival Amazonas Jazz, a convite meu”, disse. Ao longo do tempo, os dois maestros cultivam uma amizade, que já soma mais de 40 anos.

“Daniel Barry tem um viés muito forte, e uma ligação com a cidade de Manaus. Por isso resolveu fazer uma música que homenageia a Amazonas Jazz Band, durante sua passagem pela capital, em 2007. Quando pesamos tudo isso, percebemos que também é uma grande honra, para nós, poder representá-lo neste espetáculo”, completou.

Considerada pós-moderna, as composições de Daniel Barry apresentam influências de diversas culturas e temporalidades, com traços da música contemporânea da segunda metade do século 20.

Reconhecimento

Ao longo da carreira, o compositor, regente e trompetista Daniel Barry acumulou diversas críticas positivas acerca do seu trabalho, dentre elas a de John Henry, da revista digital “Audition Audiophile”.

“O som e estilo das dúzias de [composições] originais são difíceis de definir, em parte, porque ele muda constantemente de uma influência para a outra. Às vezes parece a música popular do Old Country, outras vezes, como uma espécie de música cigana moderna e sofisticada (…). A escrita é fresca e imaginativa, e tem um estilo que o diferencia da maioria dos esforços similares desse período da ‘terceira corrente’.”

“A força de Barry, como compositor, reside na sua capacidade de desenvolver motivos simples, em histórias musicais primorosamente organizadas. (A composição) “Walk All Ways”, ao mesmo tempo em que é romântica e satírica, é um encapsulamento de sucesso da visão de Barry acerca do mundo musical moderno. Os sons são frescos, imaginativos e dignos de escuta repetida”, declarou John Barron, do portal internacional de críticas “All About Jazz” e ainda a opinião de Dave Nathan, do maior site agregador de dados sobre música, “All Music Guide”: “Os arranjos inteligentes de Barry proporcionam a liberdade para os solistas exercerem a sua improvisação, tão forte quanto o conjunto.”

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.