Cultura Mundo

Conheça os favoritos para o Oscar 2016

Brie Larson concorre ao Oscar de Melhor Atriz/Foto: Divulgação
Brie Larson concorre ao Oscar de Melhor Atriz/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

Biografias e histórias épicas, tramas de espionagem, terríveis relatos de sequestros e abusos: os indicados deste ano ao Oscar estão cheios de filmes baseados em histórias da vida real.
Em alguns casos, os roteiros são fiéis à história real, mas a maioria são adaptações bastante livres dos fatos.

Veja os 10 filmes indicados ao Oscar de 2016, que será entregue no domingo, em Hollywood:

Famoso tanto pelas difíceis condições de filmagem e os estragos causados ao ator Leonardo DiCaprio, quanto pela brilhante série de premiações pré-Oscar, “O regresso” conta a história de Hugh Glass, um caçador que em 1823 se juntou a uma expedição pelo rio Missouri em busca de terras e riqueza.

Deixado para morrer após o ataque de um urso, Glass embarca em uma busca épica pela sobrevivência, impulsionado por um desejo de vingança sangrento.

O filme foi indicado em 12 categorias do Oscar, incluindo Melhor Ator para DiCaprio, Melhor Filme e Melhor Diretor para Alejandro Gonzalez Iñarritu.

Glass foi realmente abandonado por seus companheiros na vida real, mas não há registro de que tenha tido um filho e suas motivações parecem ter sido mais a de exigir um pedido de desculpas do que a vingança.

Este thriller de espionagem de Steven Spielberg foi indicado na categoria de Melhor Filme e em outras cinco, incluindo Melhor Ator para Mark Rylance.

Passado na época da Guerra Fria, conta a história da troca de prisioneiros em 1962 do piloto americano Francis Gary Powers e do universitário Frederic Pryor pelo espião soviético Rudolf Abel.

O Museu Smithsonian do Ar e do Espaço, em Washington, postou em seu blog uma publicação na qual lista cinco mitos presentes no filme, incluindo o fato de Powers ter sido torturado.

“Eu não esperava um documentário, mas para alguém como eu, interessado na precisão histórica e familiarizado com esta história, o filme foi uma decepção”, escreveu Layne Karafantis, um curador de museu.

“A grande aposta”, de Adam McKay, é baseado no livro de mesmo nome, sobre a crise financeira global de 2008, publicado em 2010 por Michael Lewis.

Com um elenco de estrelas, que inclui Christian Bale, Steve Carell, Ryan Gosling e Brad Pitt, foi indicado a cinco Oscars, incluindo de Melhor Filme e Melhor Diretor.

Descrito pelo The New York Times como um “verdadeira história de crime e uma comédia louca, um filme de roubo e uma polêmica escaldada”, o filme conta a história de Michael Burry, um gestor de fundos de hedge que aposta contra o mercado hipotecárop de alto risco no centro da crise.

Indicado para quatro Oscars, incluindo de Melhor Atriz para Brie Larson, é uma adaptação do romance de Emma Donoghue, selecionado para o Prêmio Booker.

O filme conta a história de Joy “Ma” Newsome, uma jovem que escapa após dez anos de cativeiro, contada através dos olhos de seu filho de cinco anos, Jack.

Embora esta seja uma história de ficção, o filme foi inspirado pelo caso do austríaco Josef Fritzl, que aprisionou sua filha Elisabeth em um porão por 24 anos, a estuprou repetidamente e foi pai de seus sete filhos.

Este filme narra a investigação minuciosa realizado pelo jornal The Boston Globe sobre como a Igreja Católica em Boston silenciou as atividades de cerca de 90 padres pedófilos na primeira década deste século.

Indicado em seis categorias e vários outros prêmios, o filme é baseado em uma série de reportagens publicadas pelo Spotlight, a unidade de investigação do The Globe, que em 2003 ganhou o prêmio Pulitzer.

Walter Robinson e Mike Rezendes, que faziam parte da equipe de jornalistas investigativos, indicaram à AFP no mês passado que o que se sabe sobre os escândalos de abuso infantil envolvendo a Igreja Católica são apenas a ponta do iceberg.

Este filme conta a história do roteirista Dalton Trumbo, que em 1947 foi colocado na lista negra com outros artistas por se recusar a depor perante o Congresso sobre a suposta propaganda comunista em filmes de Hollywood.

Bryan Cranston disputa o Oscar de Melhor Ator, mas alguns críticos têm atacado o filme por ser historicamente enganoso.

Godfrey Cheshire, do site “Roger Ebert’s Journal”, descreveu este filme biográfico como “mais um daqueles filmes simplistas adaptados sobre a lista negra de Hollywood, em que todas as pessoas colocadas na lista negra são inocentes, de uma maneira realmente inconcebível”.

Cheshire afirmou que o filme, de forma incorreta, assume que o Comitê de Atividades Anti-americanas era o responsável por elaborar a lista, quando na verdade foi criado e mantido pelos chefes dos próprios estúdios de Hollywood.

O filme biográfico sobre o visionário líder da Apple, para o qual Kate Winslet recebeu a indicação de Melhor Atriz Coadjuvante, foi afetado por várias reclamações de inexatidões.

O presidente da Pixar e Disney Animation Studios, Edwin Catmull, declarou ao The Hollywood Reporter que Jobs ficaria “horrorizado” com o filme e que o chefe da Apple era muito mais amável do que o personagem interpretado pelo indicado Michael Fassbender.

“A garota dinamarquesa” concorre a quatro Oscars, incluindo de Melhor Ator para o vencedor do ano passado Eddie Redmayne.

O filme é vagamente baseado na vida da artista dinamarquesa Lili Elbe, nascida Einar Wegener, que se tornou uma das primeiras pessoas a passar por uma cirurgia de mudança de sexo no início do século XX.

O filme foi comercializado como uma “história verdadeira”, apesar de conter muitas imprecisões históricas deliberadamente contidas no romance de 2000, sobre o qual se baseia.

Alguns personagens e cenas são completamente fictícios e o filme distorceu o cronograma de muitos acontecimentos da vida real dos protagonistas.

A protagonista desta comédia dramática, Jennifer Lawrence, foi indicada ao Oscar por seu papel como Joy Mangano, uma mulher divorciada e mãe de três filhos que se tornou milionária depois de inventar um esfregão que pode ser facilmente lavado.

Mangano disse que o diretor David O. Russell tratou com grande liberdade os fatos, incluindo criando uma meia-irmã fictícia e dois filhos em vez de três, bem como fazer seu ex-marido um cantor venezuelano.

Quando foi lançado o drama biográfico sobre NWA, o grupo de gangsta rap pioneiro com sede em Los Angeles, MC Ren reclamou no Twitter que a sua participação no grupo tinha sido significativamente subestimada pelo filme.

O filme também foi acusado de omitir muitas mulheres desempenharam um papel significativo no sucesso do NWA e de encobrir a história de Dr. Dre, acusado de abusar fisicamente de muitas mulheres.

Dre respondeu com uma declaração em que pede desculpas às mulheres que ele magoou.(Terra/IstoÉ)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.