Amazonas Formal & Informal

Conselheiro Federal da OAB se desculpa mas não convence

caupolican4
Redação
Escrito por Redação

Uma meia desculpa feita pelo conselheiro federal da Ordem dos Advogados do Brasil, no Amazonas (OAB-AM), Caupolican Padilha, ao governador José Melo e à categoria que ele representa, por publicação ofensiva ao chefe maior do Estado, na sua rede social, não convenceu.

Os pedidos de desculpas soaram mais como justificativa pela repercussão negativa que a publicação gerou após a publicação, dentro da OAB e junto aos seus colegas de classe. Primeiro, porque Caupolicam tem uma página pública, no Face e, por conta disso, não pode expressar e tecer críticas políticas, sem correr o risco de responder por elas, publicamente.

Segundo, porque Caupolicam representa uma entidade de Classe em nível federal e, toda e qualquer manifestação por ele feita, subtende-se que seja o reflexo do pensamento coletivo da categoria dos advogados do Amazonas, por ele representada.

E, por fim, porque a ofensa ao governador e, a um possível indicado do mesmo, para o Quinto Constitucional da OAB-AM para o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM), em eleição direta, foi explícita. Talvez intencionalmente feita com o objetivo de abortar iniciativas futuras de um processo político interno, que ainda nem começou. Fontes do governo asseguram que o tom de desabafo feito na publicação, como o próprio Caupolicam cita em sua “mea-culpa”, soou como ofensa e como tal, está sendo tratada.

A justificativa de Caupolican

“Amigos e amigas, após fazer esse desabafo nessa rede de amigos e de amigas recebi ligação de dono de portal de notícia da internet, o Presidente da OAB recebeu chamadas de donos de portais na internet, chamadas de repórteres, todos reclamando que fui deselegante com o Governador do Estado. Recebi mensagem de WhatsApp em tom que considero ameaçador. Até no jornal saiu uma notícia sobre esse meu desabafo, dizendo que eu teria desagradado a classe dos advogados com esse desabafo.

Gostaria de dizer o seguinte, fiz esse desabafo em minha rede de amigos e amigas, sinceramente não sei se agi certo ou errado, e falo isso de coração, mas disse o que se passou pela minha cabeça, transmiti o que minha mente estaria lendo nesse momento histórico, não esperei que isso chegaria a alta cúpula do Governo e eu fosse objeto de toda essa reação por parte do governador e dos que gostam dele. Sei que alguns advogados e advogas possam ter ficado chateados e chateadas com esse desabafo, desculpem, mas tenho que dizer também que alguns e algumas advogados e advogadas me emprestaram solidariedade pela postagem.

Por fim, longe de mim querer causar polêmica, quem sou eu para querer polemizar com o governador do Estado, por favor entendam, não estou sendo irônico, tenho que ser realista nesse ponto, sou apenas um advogado e um professor, não sou agente com poder de Estado, não tenho poder sobre a mídia, não tenho poder sobre grupos de pressão, não sou ligado a nenhum partido político (numa briga retórica nenhum partido ficaria do meu lado), não lidero nenhum movimento social, nem a minha sala de aula eu uso como palanque, não sou milionário, sou Conselheiro Federal da OAB, mas isso é transitório (como um dos recados que recebi por WhatsApp, sei disso, não precisavam ter deixado recado), tb não acho que isso me transfere alguma autoridade, e falo isso de coração.

Então Governador, para finalizar, seu recado foi dado, eu recebi, não esperava que esse desabafo pudesse incomodar tanto, não sei se devo ou não apagar (posso até ser mal interpretado com essa frase, mas vou deixar), mas, encerrando mesmo, sei e já sabia que não tenho a menor chance de disputar publicamente uma crítica com o governador do Estado.

Esse é apenas meu último desabafo quanto a esse tema, então por favor não copiem e republiquem essa ultima mensagem, abraços, obrigado pela leitura e desculpem o tamanho do texto” (Prof. Caupolican Padilha).

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.