Amazonas Esportes

Copa do Mundo começa hoje (08) para o Brasil, em Santiago contra o Chile(Atualizada)

David Luiz, uma das estrelas da zaga brasileira/Foto: Mowa Esporte
Redação
Escrito por Redação

Começa hoje, quinta-feira (08), a primeira das 18 batalhas da seleção brasileira para estar na Copa do Mundo de 2018, na Rússia, com um duelo que, na imaginação de muita gente, deveria ter acontecido já há algum tempo. O Brasil visita o Chile, em Santiago, às 20h30 (de Brasília).
A incapacidade da equipe brasileira, eliminada pelo Paraguai ainda nas quartas de final, impediu que o “jogo dos sonhos” se realizasse, mas a sorte – ou azar, depende do ponto de vista – agiu no sorteio das Eliminatórias, no fim de julho, na Rússia. Cruzou o caminho das seleções logo na primeira rodada. E no estádio Nacional de Santiago, que seria o palco da final. Foi lá que os chilenos bateram os argentinos nos pênaltis, e fizeram história com o título.

– Esperávamos chegar à final da Copa América contra o Chile, na casa deles, mas não foi possível. Agora temos esse jogo e esperamos vencer para suprir o que aconteceu antes – afirmou o volante Elias, que disputa com Fernandinho uma vaga na equipe titular.

– É uma situação diferente. Estamos iniciando uma caminhada, e estrear na casa deles será difícil. Eles tinham essa expectativa (de disputar a final contra o Brasil), sabem do nosso peso, seria uma festa maior, mas infelizmente não aconteceu – disse o “concorrente” Fernandinho.

Apenas três meses se passaram entre o utópico último jogo da Copa América e a importantíssima abertura das Eliminatórias. Pouco tempo, mas suficiente para mudanças profundas. Algumas forçadas, como as ausências do suspenso Neymar e do lesionado Aránguiz, outras por opção, como a não convocação de Thiago Silva. Veja cinco diferenças daquele jogo, que não aconteceu, para esse, que abrirá a busca brasileira por um lugar na Copa de 2018.

Neymar e Douglas costa

Punido pela discussão com o árbitro Enrique Osses, após a derrota para a Colômbia, Neymar não poderia jogar nem a final da Copa América, se o Brasil tivesse avançado. Quis o destino que a partida fosse realizada enquanto ele ainda cumprisse a suspensão. A diferença é o substituto. Enquanto Douglas Costa era coadjuvante na competição disputada há três meses, agora torna-se cada vez mais protagonista, graças ao início arrasador no Bayern de Munique, sob o comando de Pep Guardiola. Ele será o responsável pelo lado esquerdo ofensivo do Brasil. No meio do ano, era alternativa a atletas mais experientes, como Robinho, escolhido para atuar quando Neymar foi suspenso. E será, também, uma das maiores esperanças brasileiras de superar a euforia chilena pelo título conquistado em sua casa.

Valdivia

O camisa 10 voou na Copa América. Para muitos, foi o principal condutor do bom desempenho ofensivo da equipe. Os brasileiros, que o conhecem bem, em razão da longa trajetória com a camisa do Palmeiras, costumavam dizer que ele “jogava quando queria”. Ele quis muito vencer o torneio no meio do ano. Porém, agora no Al-Wahda, ele já recebeu uma punição por gesto ofensivo e, certamente, sofrerá, em algum momento, os efeitos de estar num mercado muito menos competitivo do que o brasileiro. Sua performance é uma das grandes incógnitas do jogo.

Thiago silva e David luiz

A famosa dupla de zagueiros, titular na última Copa do Mundo, foi desfeita desde que Dunga reassumiu, em agosto do ano passado, e, aos poucos, alçou Miranda a um status inalcançável no setor. Na Copa América, David começou, perdeu lugar para Thiago, e viu do banco seu companheiro de PSG meter a mão na bola no fatídico lance que levou a decisão das quartas de final para os pênaltis, e acarretou na classificação paraguaia. A comissão técnica não engoliu novo ato destemperado, e Thiago Silva não voltou mais à Seleção. Será David Luiz, portanto, o responsável por abrir as Eliminatórias ao lado de Miranda.

O ex-meia do Internacional dividiu com Valdivia e Vidal o posto de protagonista no meio-campo chileno durante a Copa América. Foi mais um que, alçado pela boa campanha, deixou o futebol brasileiro e se transferiu para o Bayer Leverkusen, mas seu início não poderia ser pior. Uma grave lesão sofrida em agosto o tirou dos gramados até o fim do ano. Vidal, outro que foi para a Alemanha, no poderoso Bayern de Munique, tem sido reserva nos últimos jogos. O meio-campo chileno torna-se, portanto, uma grande incógnita.

11 mudanças

Dunga disse, nesta quarta-feira, que o Brasil trocou muitos jogadores nos últimos anos, e, por isso, está em desvantagem, nesse aspecto, em relação às seleções que mantiveram a base. Só que o próprio técnico levou ao Chile, dessa vez, um grupo bastante diferente daquele que disputou a Copa América. É verdade que as lesões atrapalharam, tanto lá, nos casos de Luiz Gustavo, Danilo e Oscar, quanto agora, com Firmino e Philippe Coutinho. Mas, no fim das contas, são 11 mudanças em três meses. Saíram Neto, Thiago Silva, Geferson, Casemiro, Fred, Everton Ribeiro, Philippe Coutinho, Roberto Firmino, Robinho, Neymar e Diego Tardelli. Entraram Alisson, Gil, Marcelo, Renato Augusto, Lucas Lima, Oscar, Kaká, Lucas, Hulk e Ricardo Oliveira.

FICHA TÉCNICA

BRASIL: Jefferson, Daniel Alves, Miranda, David Luiz e Filipe Luís; Luiz Gustavo, Elias (Fernandinho), Oscar, Willian e Douglas Costa; Hulk. Técnico: Dunga

CHILE: Bravo, Jara, Medel e Silva; Isla, Díaz, Gutierrez e Mena; Vidal (Valdivia); Vargas e Alexis Sánchez. Técnico: Jorge Sampaoli

Data: 08/10/2015 Horário: 20h30 (de Brasília) Local: Estádio Nacional, em Santiago (Chile) Árbitro: Roddy Zambrano (EQU) Auxiliares: Christian Lescano e Byron Romero (EQU).

A experiência do craque Vidal para o Chile/Foto: Reuters

                                   A experiência do craque Vidal para o Chile/Foto: Reuters

Além de Chile x Brasil, jogam à noite, Argentina e Equador.

Agora, estão jogando – Colômbia 1 x 0 Peru; Bolívia 0 x 2 Uruguai, e Venezuela 0 x 0 Paraguai.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.