Amazônia Mato Grosso

CRM de Mato Grosso identifica remédios vencidos e em unidades de saúde

Redação
Escrito por Redação

Uma equipe do Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso (CRM-MT) deu início nesta semana a uma vistoria nas unidades públicas de saúde do estado. As primeiras visitadas serão as de Cuiabá. Nesta semana, por exemplo, já foram vistoriadas as policlínicas do Verdão e do Coxipó, além da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), no Bairro Morada do Ouro. A prefeitura informou que irá aguardar o término das vistorias para verificar as medidas a serem tomadas.

Nessas unidades, os profissionais que integram a equipe identificaram uma série de irregularidades, entre elas a precariedade na estrutura dos prédios, medicamentos com data de validade vencida, além de superlotação. “Os problemas maiores na policlínica do Verdão são a estrutura física e a superlotação. A equipe [médica] não está dimensionada para a demanda que estava ali à procura de atendimento”, afirmou a presidente do CRM-MT, Maria de Fátima Carvalho Ferreira.

Devido à falta de médicos, alguns pacientes já aguardavam atendimento havia 7horas, segundo ela. Na escala de plantão, constava apenas um médico, enquanto a sala de espera não tinha mais nenhuma cadeira livre para os pacientes. “Toda a sala estava ocupada e o atendimento demorava muito para ser realizado”, pontuou.

Apesar de na escala ter somente um médico para atuar na unidade na segunda-feira (16), dia da visita à unidade, a presidente da entidade disse que a Secretaria Municipal de Saúde contratou um médico para ajudar no atendimento. “A atenção primária deve ser revista para começar a reestruturar todo o atendimento. Pode não ser uma solução a curto prazo, mas a médio prazo conseguiremos resolver”, avaliou Maria de Fátima.

Na terça-feira (17), a tesoureira do CRM-MT, Dalva Alves das Neves, foi até a UPA, cujo prédio foi entregue há três anos e, segundo ela, já necessita de manutenção. Diferentemente da policlínica do Verdão, a UPA não apresentava défitit de pessoal, mas, por outro lado, foram encontrados vários medicamentos vencidos na farmácia da unidade.

“Notamos que, após três anos de uso, a UPA está se deteriorando e, se não tiver manutenção, daqui a alguns dias estará em péssimas condições”, avaliou a médica. Entretanto, ela citou a falta de controle na farmácia da unidade como o problema mais grave. “É preciso ter controle da medicação. Os remédios que vão vencer no final de maio, por exemplo, devem ser usados primeiro. Tem que pedir menos dos [remédios] que saem menos e mais dos que saem mais”, afirmou.

A terceira vistoriada foi a Policlínica do Coxipó.

Ao fim das vistorias em Cuiabá, a equipe deve verificar a situação das unidades de Várzea Grande, região metropolitana da capital. “Primeiro iremos a todas as unidades de saúde de Cuiabá e depois iremos para Várzea Grande e, em seguida, vamos para o interior”, informou Dalva Alves.

Um relatório contendo os dados colhidos pela equipe deve ser entregue ao Ministério Público Estadual (MPE) para as devidas providências.

(Jornal Floripa)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.