Cultura Isabela Abes Casaca

[Crônica] A selfie de Eleanor – por Isabela Abes Casaca

Isabela Abes Casaca
Isabela Abes Casaca

– Espelho, espelho meu, existe alguém mais bela do que eu? – Olhos fixos na câmera frontar do celular.

Eleanor contabiliza os likes que recebeu, de uma foto cujos íntimos detalhes ninguém percebeu. Pó de arroz espalhado com extremo cuidado, para esconder as imperfeições, para maquiar as aflições. Exposição na tela virtual, retratos de uma vida sensacional, o coração padece de uma solidão essencial.

Eleanor usa sua máscara, que guarda ao lado de um jarro. Aparência forjada, estética minimamente planejada, alegria milimetricamente ensaiada, expressão digitalmente retocada, artifícios utilizados por um exímio artesão na confecção de uma face artificial. Para quem será? Para que será? Por que será?

Zack Magiezi escreveu as palavras de uma frase de efeito, para uma legenda superficial. Filtro mimetizando a iluminação de “Moça com brinco de pérola”, quadro exposto nos museus imateriais das redes sociais. Será que lembrar-se-ão por anos a fio, ou perder-se-á nas inumeráveis imagens desbotadas de narcisos plastificados?

Vejam-na remendar sua aparência a noite, quando não há ninguém por perto. Ela não está nem aí! Alguém contou-me ontem que você jogou-se num mundo de aparências e padeceu de solidão… E ninguém se importou…

Look at all the lonely people…

Qual era o sonho de Eleanor?

All the lonely people, where do they all come from?
All the lonely people, where do they all belong?

Eu permaneço apenas observando…

Eleanor_Rigby_bronze,_Stanley_Street_-_geograph.org.uk_-_377559

Isabela Abes Casaca
Twitter: @isabelacasaca
http://www.novaagora.org/

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.