Amazonas Cidades

Cultivo de hortaliças por hidropônico cresce na zona rural de Manaus

Novo sistema aumenta produção de hortaliças/Foto: Idam
Redação
Escrito por Redação

Em Manaus, o número de produtores da zona rural, que modificaram o sistema de plantio de hortaliças, do modo tradicional para o hidropônico (cultivo protegido), subiu em 60% no período de 2013 a 2015, segundo dados da Unidade Local do Instituto de Desenvolvimento Agropecuário e Florestal Sustentável do Amazonas (Idam). Essa tecnologia de plantio foi introduzida no município na década de 90, com agricultores do ramal Ipiranga (Puraquequara).
Para o diretor-presidente do Idam, Edimar Vizolli, a hidroponia é uma alternativa para a produção sustentável, porque possibilita maior rendimento por área, maior controle de pragas e doenças, redução do tempo entre cada ciclo de produção, além de reduzir perdas na produção causadas por fatores climáticos.

De acordo com o gerente da Unidade Local do Idam em Manaus, Ofir Hage, o aumento dessa atividade se dá pelo fato de que os agricultores estão mais interessados em buscar novas tecnologias, apostando em sistemas que facilitem o trabalho no campo, aumento da produção e uso consciente dos recursos.

“Atualmente, existem cerca de 70 produtores cultivando alface, coentro, rúcula e agrião, nesse sistema, sendo que o Instituto presta assistência técnica a 48 produtores que migraram do cultivo convencional para a hidroponia”, destacou Ofir, ao explicar que alguns fatores como a degradação do solo, após o uso excessivo de adubo químico, contribuíram para a entrada dessa tecnologia no Estado.

Apesar do alto custo inicial de implantação, os produtores rurais têm visto que o retorno econômico é bem mais rápido do que o método tradicional, já que a hidroponia possibilita menor tempo entre um ciclo e outro, aumentando a produção, podendo chegar a dobrar a renda familiar.

Assistência técnica – A falta de mão de obra especializada ainda é um dos entraves para esse cultivo, por isso, o Governo do Amazonas por meio do Instituto vem desenvolvendo ações de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) para orientar e capacitar às famílias de agricultores, de modo que tenham conhecimento necessário para investir na atividade.

Outra iniciativa promovida pelo Idam é a inclusão dos agricultores nos Programas de Crédito financiados pelo Banco do Brasil e Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afeam). É o caso dos produtores familiares Luiza Marques, de 53 anos, e Afonso Marque, de 56 anos, que moram no ramal há 22 anos, e desde o início recebem orientações dos técnicos do Idam.

“A mudança foi necessária, porque antes era preciso muita mão de obra e era muito cansativo, foi então que surgiu a ideia e iniciarmos com recurso próprio a cultivar neste sistema. Depois de algum tempo, percebemos que era preciso buscar mais investimento para melhorar as instalações. Hoje temos seis galpões que produzem mais de 3,7 mil pés de alface”, disse Luiza.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.