Brasil Mundo Política

Datena desiste da candidatura a prefeito de São Paulo

Datena desiste de candidatura, em SP/Foto: Reprodução
Redação
Escrito por Redação

Não durou muito a aventura política do apresentador de rádio e TV José Luiz Datena. Pré-candidato a prefeito de São Paulo pelo PP, nas eleições municipais deste ano, o jornalista da Rede Bandeirantes surpreendeu, ao desistir da disputa, na manhã de hoje, segunda-feira (18).
Em seu programa na rádio Bradesco Esportes FM, que pertence ao grupo Bandeirantes, Datena anunciou que não disputará a eleição municipal de 2016, e deixará o PP, partido ao qual se filiou no ano passado.

Entre os motivos alegados para tomar a decisão citou uma denúncia contra o partido. “Não posso permanecer em um partido que tomou mais de R$ 300 milhões da Petrobras.”

O apresentador se referia a informações divulgadas neste domingo (17) com pesadas acusações contra o PP. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou que o esquema de corrupção sustentado pelo PP na Petrobras, que tinha como principais operadores o ex-diretor de Abastecimento Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef, desviou R$ 357,9 milhões dos cofres da estatal, entre 2006 e 2014 –161 atos de corrupção em 34 contratos, 123 aditivos contratuais e quatro transações extrajudiciais.

“Desisti por causa das novas denúncias de corrupção, ligando o partido a que me filiei com o objetivo de específico de me candidatar. Lembrei do que meus pais diziam: ‘Dizem com quem andas e te direi quem és'”, disse Datena ao UOL depois do programa. O PP e seus integrantes já eram investigados pela operação Lava Jato antes do apresentador se filiar ao partido.

Outro motivo mencionado por Datena é suposta realização de eleições prévias dentro do PP para definir o nome do candidato a prefeito do partido. Segundo a jornalista Mônica Bérgamo, em sua coluna no jornal “Folha de S. Paulo”, o jornalista teria de disputar com o ex-prefeito da capital Paulo Maluf a indicação. “Jamais disputaria uma prévia eleitoral com [Paulo] Maluf. Preferia uma disputa com o Marcola [um dos líderes do PCC].”

“Acreditei que seria possível ajudar a cidade, mas o cenário político só piora, com denúncias cada vez mais cabeludas. Ele [Maluf] é o candidato ideal para o momento de hoje”, ironizou em declaração ao UOL.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.