Amazonas Política

Deputado destaca compromisso assinado por Dilma para recuperar florestas

Compromisso para eliminar desmatamento/Foto: Arquivo
Compromisso para eliminar desmatamento/Foto: Arquivo
Redação
Escrito por Redação

Na manhã de hoje, quinta-feira (02), o deputado Orlando Cidade (PTN), parabenizou a presidente Dilma Rousseff (PT), que em visita aos Estados Unidos assinou compromisso para recuperar, até 2030, 120 mil quilômetros quadrados de florestas, comprometendo-se, ainda, a zerar o desmatamento ilegal, em 15 anos.
Para o parlamentar, o Amazonas sai na frente desta declaração da presidente, já que o Estado possui apenas dois por cento de sua floresta desmatada. “O Amazonas dá exemplo para o restante do país, em relação ao desmatamento. Hoje, o Estado desmata menos do que é permitido por lei, que é desmatar até 20%. Então o Amazonas já está dentro do que a presidente Dilma se comprometeu com o presidente norte-americano Barack Obama”, disse Cidade.

O documento assinado diz que as fontes renováveis, tanto para geração de energia como para biocombustíveis, devem representar entre 28% e 33% do total de recursos usados, também até 2030. A meta não inclui a energia hidrelétrica.

Outro assunto destacado pelo parlamentar foi a visita do governador de Rondônia, Confúcio Aires Moura, na tarde desta quarta-feira (1), para tratar da elaboração de uma carta de intenções referente à construção da ferrovia Transoceânica.

Além de Cidade, participaram ainda da comitiva do governador José Melo, os secretários de Fazenda, Afonso Lobo, e do Planejamento, Thomaz Nogueira. Melo determinou que um técnico da Secretaria de Planejamento, Ciência e Tecnologia (Seplanct) participe, na próxima terça-feira (7), de uma reunião em Cuiabá, onde será elaborado o documento, com a participação dos estados do Acre, Amazonas, Mato Grosso e Rondônia, que será entregue à presidente Dilma Rousseff.

Na tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Cidade destacou a importância da ferrovia para os Estados da região norte, em especial o Amazonas, por conta das mercadorias produzidas pela Zona Franca de Manaus.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.