Amazonas Destaques Saúde

‘Dia D’ de vacinação contra gripe mantido para 30 de abril, em Manaus

Vacinação contra gripe, em Manaus/Foto: Arquivo
Redação
Escrito por Redação

A capital amazonense manterá o calendário de imunização que tem como “Dia D” da Campanha Vacinação contra a Influenza (trivalentes que protegem contra os vírus H1N1, H3N2 e o tipo B) no dia 30 de abril, e a continuação da campanha nos postos até o dia 20 de maio, segundo anúncio feito ontem (11). O planejamento deste ano será mantido já que o município, ao contrário de vários outros do País, não manifestou epidemia do vírus.
“Não há motivo para alarde em Manaus. Nos três últimos anos, tivemos sucesso nas campanhas de vacinação contra a Influenza, sendo a primeira capital do País a cumprir a meta. Isso nos dá uma tranquilidade adicional em relação à manifestação da doença em nossa cidade, porque nossos índices de cobertura vacinal são muito bons ao longo dos últimos três anos e a imunização faz a diferença na contenção da doença”, tranquilizou o secretário de Saúde.

Homero citou o Estado de São Paulo, onde há grande número de registros de H1N1, conhecida como gripe suína, com 70 óbitos registrados. “Em São Paulo, a cobertura vacinal chegou a aproximadamente 60% e nós alcançamos 94,66% do público a que a vacinação se destina em 2015, e em 2014 ultrapassamos a meta   alcançando 101,52%, quando o percentual mínimo estabelecido pelo Ministério da Saúde é de 80%. Isso faz toda a diferença, porque a população atendeu ao nosso chamado e foi aos postos tomar a vacina. Esperamos que neste ano os grupos prioritários se protejam com a vacina contra a gripe”, ressaltou.

A Semsa faz o acompanhamento da situação epidemiológica da Influenza durante o ano todo, através das unidades sentinelas, com profissionais treinados e estoque de medicamentos e, ainda, com a vacinação que será feita agora, no ‘Dia D’, marcado para o próximo dia 30 de abril, e se estendendo até o dia 20 de maio. “É importante destacar que essa vacina disponibilizada pelo SUS é apenas para grupos prioritários, com faixas etárias e características específicas que precisam ser respeitadas, pois os riscos para eles são maiores”, ressaltou o secretário.

O público da campanha é formado por crianças de 6 meses até 4 anos 11 meses e 29 dias; idosos; gestantes; indígenas; pessoas com comorbidades; puérperas (até 45 dias após o parto); trabalhadores da saúde; e pessoas privadas de liberdade. Pessoas fora dessa característica devem procurar a imunização na rede privada.

O período de realização da campanha em Manaus foi determinado pela equipe do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Dvae) da Semsa, após análise epidemiológica de notificações da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que tem como uma das formas de manifestação o Vírus H1N1. Em Manaus, há um óbito confirmado de H1N1, por infecção importada, e a pessoa adquiriu a doença no Rio de Janeiro. Há um outro óbito notificado, que está em investigação.

Além disso, a Semsa abrirá agendamento para pessoas acamadas a partir do dia 25 de abril por meio do 0800 280 8 280. A vacinação dessas pessoas será realizada a partir do dia 2 de maio.

Unidades sentinelas

No Brasil, o Ministério da Saúde (MS) iniciou, em 2000, a implantação de um sistema de Vigilância Epidemiológica da Influenza em âmbito nacional, incluindo a vigilância de Síndrome Gripal em unidades sentinelas. O principal objetivo dessa vigilância era a identificação dos vírus respiratórios em circulação no país, além de permitir o monitoramento da demanda de atendidos pelo Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe (SIVEP-Gripe).

Desde a pandemia da influenza pelo vírus H1N1, em 2009, a vigilância epidemiológica conta com a notificação universal de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) de casos hospitalizados e de óbitos relacionados à influenza, por meio do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan Influenza Web).

Manaus conta com quatro unidades sentinelas de Síndrome Gripal que coletam amostra de nasofaringe dos usuários que apresentem sintomas e forem atendidos nas unidades. São elas, o Hospital Adventista, Hospital e Pronto-Socorro da Criança da Zona Oeste e da Zona Sul e Hospital Defina Aziz. Também existem quatro unidades sentinelas de SRAG, sendo elas, o Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, Platão Araújo, Unimed e Hospital 28 de Agosto.

Dados de 2015-2014 para Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG)

2015

19 casos notificados de SRAG

17 casos descartados

2 casos confirmados para o Vírus Sincicial

Não houve H1N1

2014

67 casos notificados de SRAG

45 casos descartados

14 confirmados para o Vírus Sincicial

2 confirmados para o Adenovírus

1 confirmados para a Parainfluenza

5 casos confirmados de H1N1

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.