Brasil Destaques

Dilma atrasa viagem aos EUA e reúne ministros sobre delação

Dilma reúne ministros para tratar sobre delação UTC/Foto: PR
Dilma reúne ministros para tratar sobre delação UTC/Foto: PR
Redação
Escrito por Redação

A presidente Dilma Rousseff atrasou o embarque para os Estados Unidos, previsto para as 09h00, e convocou ministros para uma nova reunião na manhã de hoje, sábado, para avaliar o impacto do conteúdo da delação premiada do empresário Ricardo Pessoa, da UTC.

A reunião da presidente com os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça), Aloízio Mercadante (Casa Civil) e Edinho Silva (Secom), já terminou. De acordo com interlocutores, a presidente embarca para sua visita aos EUA em clima de apreensão, especialmente pelas citações de doações feitas pela UTC a Mercadante, Edinho Silva e ao próprio PT.

É a segunda reunião de Dilma sobre o assunto em menos de 24 horas. O ministro Edinho Silva, que iria viajar a São Paulo na noite de sexta-feira, foi obrigado a ficar em Brasília e também participou do encontro.

Dilma deixou o Palácio da Alvorada, às 10h20, acompanhada apenas da filha Paula, em direção à Base Aérea de Brasília, de onde embarca para os EUA, onde terá encontro com o presidente Barack Obama, entre outros compromissos.

Indiferente ao agravamento da crise, Dilma saiu hoje para pedalar nos arredores do Alvorada normalmente, seguida de seguranças. O helicóptero que a levará a base aérea já aguarda no gramado, e ela deve embarcar a qualquer momento.

A delação premiada de Ricardo Pessoa, dono das construtoras UTC e Constran e apontando como chefe do “cartel das empreiteiras” que fatiou os contratos da Petrobras, provocou, ainda na sexta-feira, apreensão no Palácio do Planalto. Ela convocou Cardozo, Mercadante, Edinho Silva (Comunicação Social), além do assessor especial Giles Azevedo, para avaliar o impacto da delação sobre o governo.

No depoimento, o empreiteiro listou como beneficiários de recursos a campanha da presidente Dilma Rousseff em 2014; a campanha do ex-presidente Lula em 2006; a campanha de Mercadante, ao governo de São Paulo em 2010; e mais cinco senadores e três deputados federais. O Ministério Público Federal e a PF agora vão investigar se as doações foram legais ou se houve irregularidades.

A lista dos que receberam as verbas foi publicada ontem, sexta-feira à noite pelo site da revista “Veja” e confirmada pelo GLOBO junto a duas fontes com acesso às investigações em curso no Supremo Tribunal Federal (STF).(O Globo)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.