Brasil

Dilma vetará reajuste de servidores do Judiciário após derrota no Senado

Dilma deve vetar reajuste/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

A articulação política do governo Dilma Rousseff sofreu mais uma dura derrota após a passagem de dois dias de Luiz Inácio Lula da Silva pela capital ontem, projeto que aumenta os salários dos servidores do judiciário em até 78%.
Além de mostrar total desarticulação do governo com dois presidentes de poderes, Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, e Renan Calheiros, do Senado, revelou uma desatenção da articulação política. Michel Temer, atual responsável pelas negociações com o Congresso Nacional, estava no exercício interino da presidência da República. O projeto será vetado por Dilma.

Há um consenso em Brasília de que este aumento, se concretizado, será estendido para outras categorias federais e estaduais, num efeito cascata. Contra o texto, a área econômica do governo indica, através de simulação, que o aumento custará R$ 26 bilhões em quatro anos.

É um torpedo de alta potência contra o ajuste fiscal do ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Afetará para pior as expectativas já ruins sobre a economia brasileira e será olhado com atenção pelas agências internacionais de avaliação de risco.

O PT liberou o voto de sua bancada e a articulação política do governo conseguiu apenas a apresentação de um requerimento para adiar a votação. Derrotado o requerimento, nada mais foi feito no sentido de barrar o aumento. Ruim para Temer, a derrota é também mais uma retaliação da base aliada contra a demora nas nomeações políticas acertadas e que estão a cargo do chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante.

O veto de Dilma abrirá mais uma frente de atrito da presidente com importante parcela do funcionalismo público federal, além de novo desgaste com os presidentes do Congresso e do STF.(G1/Matheus Leitão)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.