Amazonas Esportes

Dirigente cita eventual esquema para livrar Vasco da Série B

Delfim Peixoto, presidente catarinense/Foto: FolhaPress
Delfim Peixoto, presidente catarinense/Foto: FolhaPress
Redação
Escrito por Redação

Protagonista de polêmicas com o presidente Eurico Miranda, Delfim Peixoto, presidente da Federação Catarinense de Futebol, e um dos vice-presidentes da CBF, insistiu em ir contra o clube carioca, ao comentar a reta final do Campeonato Brasileiro. Para o dirigente, que já foi acusado por Eurico de influenciar árbitros, o Vasco tem sido favorecido para não voltar à Série B.
Faltando apenas duas rodadas para o fim da competição, o Vasco soma 37 pontos e ocupa a 18ª colocação, três atrás do catarinense Figueirense, primeiro clube fora da zona da degola. Nesta temporada, Delfim já amarga um rebaixamento em seu estado: o Joinville, que teve a queda decretada com algumas rodadas de antecedência.

“Não sou eu quem vai dizer que os campeonatos da CBF não têm lisura. No meu estado, pelo menos, há lisura. Podem estar acontecendo algumas coisas diferentes no atual campeonato… Está um negócio meio forçado para que tal clube não caia. Mais até na parte de baixo do que na parte de cima”, comentou em entrevista à ESPN Brasil. “Estou falando do Vasco”, decretou na sequência.

Além da suposição, Delfim também reclamou da falta de preocupação com as equipes de Santa Catarina. “O Criciúma caiu ano passado, estava caindo aos poucos, e ninguém ficou preocupado. Esse ano o Joinville caiu, inclusive jogando contra o Vasco… A marmelada que o senhor do Vasco lá disse, que os catarinenses estavam com esquema para tirar o Vasco. Tem que cair aquele que merece cair”, declarou.

Um dos integrantes mais antigos da cúpula diretora da CBF, Delfim Peixoto fez campanha para a vice-presidência de José Maria Marin e, inclusive, moveu ação para colocar seu nome na sede localizada na Barra da Tijuca. Com o amigo cumprindo prisão domiciliar à espera do julgamento, o presidente da Federação Catarinense se tornou grande opositor de Del Nero.

Dizendo defender o estatuto da CBF a qualquer custo, Delfim lamentou o atual cenário da entidade após a saída de Marco Polo Del Nero do Comitê Executivo da Fifa, anunciada na última quinta. “Aqueles que aplaudem uma situação como essa não querem o bem do futebol brasileiro”, defendeu, criticando a nomeação de Fernando Sarney para representar o Brasil na Fifa.(Terra/Gazeta)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.