Cidades

DRCO desarticula quadrilha envolvida em desvio de verba pública

Quadrilha
Redação
Escrito por Redação

Uma quadrilha composta por oito pessoas foi presa por envolvimento de desvio de verbas públicas destinadas a professores da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

Após cinco meses de investigação, o Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), apresentou na sede da Delegacia Geral, na manhã de sexta-feira (25), por volta das 11h, Franklin Moisés Barbosa Veloso, 29, conhecido como ‘Frank’, Reginaldo de Souza Salgado, 45, o ‘Cacildes’, Adenauer Silva Seixas, 30, o ‘Natal’ ou ‘Natalzinho Seixa’, Alex Souza da Silva, 30, Edivane Castro Pedroso, 40, Afonso Araújo Muniz, 50; Henrique Ferreira da Rocha, 49, e Jair Pereira Brandão Filho, 47. O grupo foi preso em locais distintos na manhã de quinta-feira (24).

O diretor do DRCO, o delegado Rafael Allemand, informou que foram cumpridos durante a ação sete mandados de busca e apreensão e oito mandados de prisão, representados após cinco meses de investigações.

Com o grupo foram apreendidos cinco notebooks, três impressoras, cartões e documentos falsificados, talões de cheques, celulares e uma máquina de produzir cartões.

Prisão

Franklin foi preso na rua D do conjunto Vila da Barra, bairro Cidade Nova, Zona Norte. Reginaldo teve o mandado cumprido na rua Vicente Reis, bairro São Jorge, Zona Oeste. Adenauer foi preso na rua da Amizade, localizada na Comunidade São João, na rodovia federal BR-174. O casal Alex e Edivane foi preso na residência onde moravam, situada na rua Dez de Julho, bairro Compensa, Zona Oeste. Afonso Araújo  foi preso em via pública, na avenida Torquato Tapajós, bairro Flores, zona Centro-Sul. Henrique e Jair tiveram as prisões efetuadas, respectivamente, na rua Júlio Lobo, Centro, e rua B do conjunto Alberto Simonetti, no município de Autazes, a 113 quilômetros de Manaus.

Ação da quadrilha

O delegado Rafael Allemand informou que Franklin seria o líder da quadrilha. Jair, sogro de Franklin e residente em Autazes, teria apresentado o genro a Henrique, ex-gerente de uma agência bancária daquele município. Franklin acessava a internet para saber os nomes dos bolsistas da Fapeam contemplados em projetos, bem como os respectivos números de Cadastro de Pessoas Físicas (CPF).

“Após essas informações, Franklin entrava em contato com Henrique, que descobria o número da conta e quanto à vítima possuía na conta bancária. A partir desse primeiro passo os outros integrantes entravam no esquema criminoso”, explicou Allemand.

Conforme o delegado, Reginaldo, era o responsável por falsificar os documentos pessoais das vítimas e cartões bancários, sendo que os documentos possuíam as fotos dos próprios criminosos.
Já Adenauer e o casal Alex e Edivane emprestavam as contas bancárias para a transferência das quantias. As investigações apontaram ainda que, Afonso apareceu com um dos nomes e recebeu valores na conta pessoal.

“A cada valor transferido na conta pessoal, o trio recebia uma porcentagem”, revelou o delegado Rafael.

Golpe

A quadrilha agia há pelo menos dois anos e os crimes denunciados são todos do ano de 2014. Ao todo, sete pessoas foram vítimas e o prejuízo em torno de meio milhão de reais.

O grupo responderá por organização criminosa, falsificação de documento público, estelionato e falsidade ideológica. Ao término dos procedimentos legais de polícia, os homens foram encaminhados à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro. Edivane foi levada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), onde todos ficarão à disposição da Justiça.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.