Amazonas Esportes

Dunga elogia torcida cearense e dá nota 8,5 para a Seleção Brasileira

William(E) e Ricardo Oliveira, os goleadores do Brasil/Foto: Divulgação
William(E) e Ricardo Oliveira, os goleadores do Brasil/Foto: Divulgação
Redação
Escrito por Redação

Dunga ficou feliz com o que viu na noite de ontem, terça-feira (13), na Arena Castelão, em Fortaleza, na vitória do Brasil por 3 a 1 em cima da Venezuela, pela 2ª rodada das Eliminatórias da Copa. O treinador atribuiu nota 8,5 aos seus atletas, elogiou a torcida e deu ênfase ao jogo coletivo que terminaram em gols (para todos os blogueiros do UOL Esporte, apenas Willian ganhou nota maior que 8).
Com dois gols de Willian e um de Ricardo Oliveira, o Brasil se recuperou da derrota por 2 a 0 para o Chile na estreia e vai com mais calma para Buenos Aires para enfrentar a Argentina, em novembro.

“Eu sou exigente. Se a gente tivesse feito a metade dos gols eu ia dar um 9. Mas como não conseguiu, eu dou 8,5”, afirmou o comandante.

“Eu gostei de ver um jogo compacto, não perdeu bolas aéreas (o gol da Venezuela foi em jogada aérea). Queremos toque de bola e drible do brasileiro. É isso que gostamos de ver. Ter personalidade de arriscar o drible”, disse o capitão do tetra.

Segundo ele, foi fundamental que a torcida apoiasse os atletas nos momentos mais difíceis do jogo para que ninguém tivesse medo de errar ao arriscar.

“Vamos conseguir isso (drible) no momento que o torcedor apoiar, especialmente na hora que errar. O torcedor apoiou, o jogador se sentiu solto, jogou com entusiasmo, porque sabe se errar não vai ser vaiado”, analisou.

Apesar dos elogios de Dunga, a torcida teve seus momentos de impaciência. Vaiou o nome do treinador antes mesmo de a bola rolar, ensaiou uma reclamação no fim do 1º tempo e vaiou bastante Oscar na substituição para a entrada de Lucas Lima.

Dunga destacou o trabalho coletivo e deu exemplos como o primeiro gol de Willian, que começou em uma roubada de Luiz Gustavo, logo aos 36 segundos de jogo.

“O mais bonito foram as jogadas trabalhadas, com qualidade técnica. Sem dúvida nenhuma, foi fundamental para a forma que eles foram feitos. O gol saiu de uma marcação de linha alta, que a seleção fez. E tivemos outras oportunidades que arriscamos mais para fazer gol”.

O Brasil, agora, volta a jogar em novembro contra a Argentina, em Buenos Aires, e contra o Peru, em Salvador.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.