Amazonas Formal & Informal

Eleição dos Metalúrgicos no DI referenda nome de Valdemir Santana

Valdemir Santana: vitória como reconhecimento pelo trabalho.
Redação
Escrito por Redação

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas, Valdemir Santana é reeleito por mais quatro anos para dirigir a instituição entre 2016 a 2020. As eleições transcorreram normalmente e com muita tranquilidade na escolha da nova diretoria, que aconteceu de 04 às 20 horas, desse dia 10 de novembro, nas fábricas do Distrito Industrial e onde haviam trabalhadores associados.

A votação atingiu os três turnos de trabalho do dia, sem intervalo para almoço e chegou a quase 70% o número de associados votantes, mais que o necessário para referendar a Chapa.

Aproximadamente às, 16 horas, os organizadores já haviam anunciado a obtenção do quórum mínimo desejado. A partir daí, foi completar a programação dos três turnos, disse o diretor de chão de fábrica Djalma Pinheiro.

Conforme disse o diretor de comunicação do Sindicato dos Metalúrgicos, Sidney Malaquias, as eleições desse ano aconteceram sem que nenhum diretor, encarregado, supervisor ou gerente interferisse no processo. Todos os trabalhadores, sem exceção, foram liberados sem pressão para votarem livremente.

Malaquias confirmou que a renovação da atual diretoria dos Metalúrgicos chega a 40%. Tanto na executiva, quanto na diretoria de chão de fábrica. Outro ganho, citado por ele, refere-se aos novos diretores, em fábricas onde não existiam representantes do Sindicato como a Samsung, a Universal Fitness, terá representantes com essa nova diretoria. Malaquias destaca que a diretoria eleita hoje para um mandato de quatro anos é representativa e vem com sangue novo.

Mesa de apuração das urnas nos Metalúrgicos.

Mesa de apuração das urnas nos Metalúrgicos.

Mas de acordo com o diretor de comunicação, foram as conquistas do último mandato, que inspiraram a confiança dos trabalhadores a votarem na nova composição para a diretoria do Sindicato. Como exemplo, Sidney citou o reajuste salarial de 2015, que alcançou o maior índice do Brasil. Foram 10.81% de reajuste em meio à crise econômica.

Sidney citou também a Participação nos Lucros e Resultados (PLR), que hoje é paga para mais de 80% da categoria, Creches, Plano de Saúde, a construção do maior Balneário Aquático da Região Norte do País, como fator que inspirou a confiança do trabalhador nessa diretoria e terminou por referendá-la para mais um mandato.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.