Amazonas Esportes

Em noite inspirada Neymar salva o Brasil na estreia da Copa América

O gol de Neymar, sem chance para o goleiro/Foto: Reprodução
Redação
Escrito por Redação

O Último favorito a entrar em campo na Copa América, a seleção brasileira repetiu erros de Argentina e Colômbia e quase tropeçou. Contra o Peru, em Temuco, o time de Dunga foi salvo por Neymar que participou dos dois gols da vitória por 2 a 1.
Neymar teve uma atuação de destaque, uma das melhores individuais da Copa América até aqui. Seus dribles e jogadas resultaram nas melhores jogadas da seleção e os dois gols.

A parte negativa fica pela atuação do sistema defensivo. Um erro infantil de David Luiz, que culminou em falha de Jeferson e desatenção de Daniel Alves, o Brasil acabou sofrendo um gol. A defesa voltou a dar espaço para os peruanos em demais oportunidades.

Agora, a missão deve ser mais difícil na segunda rodada. O adversário será a Colômbia, que perdeu para a Venezuela na estreia e também entrará pressionada em campo. Brasileiros e venezuelanos estão empatados na liderança da chave.

 Fases do jogo: O jogo começou de uma maneira que ninguém esperava. No primeiro lance, David Luiz e Jefferson erraram na saída de jogo, e Cueva antecipou Daniel Alves e abriu o placar. O erro foi suficiente para que a torcida começasse a pegar no pé do zagueiro. Sorte dele que logo na sequência, Neymar, de cabeça, aproveitou bom cruzamento de Daniel Alves e empatou o duelo.

E a estrela do atacante só não brilhou mais porque na sequência Zambrado deu carrinho e salvou o Peru em cima da linha após finalização de Neymar. Aos poucos, os peruanos foram crescendo na partida e ocupando o campo de ataque em muitas oportunidades. O nervosismo e insegurança do sistema defensivo brasileiro fazia com que os peruanos criassem jogadas. Já a seleção brasileira vivia de boas jogadas de Neymar e de ultrapassagens de Daniel Alves pela lateral, jogada que não foi muito comum durante a preparação da equipe com Danilo e Fabinho na posição.

O ritmo na etapa final começou igual. Neymar assumiu a responsabilidade por todas as jogadas do Brasil. Não atoa que ele carimbou o travessão aos sete minutos. A diferença é que o Peru veio mais cauteloso, sem dar tanto espaços e sem se arriscar tanto.

O tempo foi passando, Dunga fez alterações no setor ofensivo e a torcida começou a pegar no pé da seleção. A cada jogada do Peru, gritos de “olé” eram ouvidos nas arquibancadas.

Já nos acréscimos da partida, novamente apareceu a estrela de Neymar. Ele acertou um lindo passe e deixou Douglas Costa na cara do goleiro peruano para fazer o gol da vitória.

Melhor: Neymar – Ele carregou o Brasil sozinho. Fez o gol com bela ajuda de Daniel Alves, mas foi ele quem criou as demais jogadas, driblou os adversários e só não marcou outro porque a finalização parou no travessão. No fim, ele ainda deu uma assistência.

Pior: David Luiz – O erro do zagueiro no primeiro lance do jogo foi fundamental para deixar o Brasil nervoso em campo e dar confiança para os peruanos. Para piorar, quis dar bronca nos companheiros após gol do Peru. Ele cometeu outros equívocos no restante do jogo e foi alvo de críticas da torcida.

Destaques

Primeira vez. O técnico Dunga estreia com vitória na Copa América como técnico da seleção brasileira pela primeira vez. Em 2007, quando levou a equipe ao título na Venezuela, o treinador havia sido derrota pelo México por 2 a 0

Estreia. Este foi o primeiro jogo de Neymar como capitão da seleção brasileira principal em uma competição oficial. Ele assumiu a braçadeira após a Copa do Mundo de 2014. Desde então, o camisa 10 só havia liderado o time em amistosos

Provocação. A todo instante, a goleada de 7 a 1 sofrida pelo Brasil para a Alemanha era lembrada pelos torcedores no estádio.

20 anos depois. Esse foi o gol mais rápido sofrido pelo Brasil desde o empate por 2 a 2 com a Argentina em 1995. Balbo foi o autor do feito aquela vez nas quartas de final da Copa América.

BRASIL 2 x 1 PERU

Data: 14/06/2015 (domingo)
Local: Estádio Germán Becker, em Temuco (Chile)
Árbitro: Roberto García (México)
Auxiliares: José Luis Camargo e Marvín Torrentera (ambos do México)
Cartões amarelos: Neymar, Diego Tardelli (Brasil); Guerrero (Peru)
Público: 16.342
Gols: Cueva, aos 2 minutos do primeiro tempo; Neymar, aos 4 minutos do primeiro tempo, e Douglas Costa, aos 47 do segundo tempo

Brasil
Jefferson; Daniel Alves, Miranda, David Luiz e Filipe Luís; Fernandinho, Fred, Elias e Willian; Neymar e Diego Tardelli
Técnico: Dunga

Peru
Pedro Gallese; Advíncula, Zambrano, Ascues e Vargas; Ballón, Lobatón, Sánchez e Cueva; Farfán e Paolo Guerrero
Técnico: Ricardo Gareca

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.