Amazonas Cidades

Embaixada dos EUA promove curso de identificação para policiais, em Manaus

Participantes do curso de identificação de documentos falsos/Foto: Assessoria
Participantes do curso de identificação de documentos falsos/Foto: Assessoria
Redação
Escrito por Redação

Servidores das Polícias Civil e Militar do Amazonas e funcionários de empresas aéreas, participaram, ontem (27), do Curso de Documentação Falsa e Avaliação de Passageiros e Impostores, tradução do inglês ”Fraudulent Documents, Passenger Assessment and Imposter Course”, realizado pelo Departamento de Segurança Diplomática da Embaixada dos Estados Unidos da América, no auditório da Delegacia Geral, na zona centro-oeste de Manaus.
De acordo com os organizadores, a capacitação teve por objetivo auxiliar profissionais que atuam na área de segurança para que eles possam reconhecer documentações falsas e os respectivos infratores. O delegado-geral em exercício da Polícia Civil do Amazonas, Izair Soares da Silva, participou do curso e o considerou de extrema importância para o crescimento dos servidores da Segurança Pública “Aliados às novas tecnologias, os profissionais estão capacitados para reconhecer alterações na documentação e identificar possíveis infratores”, disse.

Adidos policiais da embaixada, Joel Gomez e Maria Oliveira ministraram o curso e informaram, na ocasião, que o departamento quer alcançar o maior número de profissionais no Brasil por conta dos Jogos Olímpicos, que serão realizados no País em agosto deste ano. Joel, que trabalha na parte de investigação da embaixada, afirmou que o uso dessas documentações facilita a atuação e movimentação de traficantes e contrabandistas no território.

“A Amazônia tem muitas fronteiras e é essencial que todas as autoridades policiais tenham conhecimento sobre a veracidade dos documentos, como detalhes na capa, nos carimbos oficiais, marca d’água, posição da foto, entre outras particularidades. Além disso, os profissionais de segurança devem saber como detectar impostores e interceptar crimes cometidos por eles em qualquer território”, explicou Gomez.

Informado sobre o curso e tendo em vista a aproximação dos Jogos Olímpicos, o delegado titular da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), Adriano Felix, não mediu esforços para que a capacitação contemplasse os servidores da Polícia Civil. “Assim que fui informado sobre o curso fiquei bastante interessado no conteúdo oferecido e comuniquei o delegado-geral. Foi ele quem possibilitou que estes profissionais falassem sobre a falsificação de passaportes, Registro Geral (RG) e Carteira Nacional de Habilitação (CNH), levantando e apresentando as motivações para esse crime”, argumentou Felix.

Durante a requalificação, além de explicar técnicas de como identificar as alterações dos documentos, os adidos policiais da embaixada relembraram atentados terroristas e crimes cometidos em outros países em função da verificação incorreta de documentos. Ao término do curso, os participantes receberam brindes personalizados da embaixada e certificados.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.