Mundo

Estado Islâmico reivindica atentado que matou 14 pessoas na Califórnia

O ataque que matou 14 pessoas, em San Bernardino/Foto: EFE
O ataque que matou 14 pessoas, em San Bernardino/Foto: EFE
Redação
Escrito por Redação

Em uma mensagem divulgada na internet, o grupo terrorista Estado Islâmico (EI, ex-Isis), reivindicou a morte de 14 pessoas em um tiroteio ocorrido em San Bernardino, na Califórnia, na última quarta-feira. Segundo a nota divulgada hoje, sábado, os jihadistas afirmam que “rios de sangue ocorrerão nos Estados Unidos”. O FBI, a polícia norte-americana, confirmou que está “investigando o caso como um ato de terrorismo”.
Em seu tradicional pronunciamento à nação, o presidente Barack Obama afirmou que as mortes dos norte-americanos são “uma tragédia para todo país” e que “nossos corações estão em San Bernardino, uma outra comunidade norte-americana destruída pela violência inominável”.

“É possível que esses dois criminosos se radicalizaram para cometer este ato de terror. Sabemos que o EI e os outros grupos terroristas estão encorajando ativamente as pessoas no mundo todo, e no nosso país, para cometer terríveis atos de violência, os chamados ‘lobos solitários'”, destacou o mandatário.

Obama voltou a pedir que o Congresso do país aumente o controle sobre a venda de armas, algo que ele sempre repete após tiroteios desse tipo, dizendo que “nos Estados Unidos é muito fácil para as pessoas perigosas colocar as mãos nas armas”.

Citando a proibição de “pessoas perigosas” de entrar por avião no país, o líder destacou que “se alguém é muito perigoso para entrar em um avião também vai ser, por definição, muito perigoso para comprar uma pistola”.(Terra/Ansa)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.