Mundo

EUA pedem ´compromisso´para viabilizar crise financeira da CIDH da OEA

James Caballaro, presidente da CIDH/Foto: OEA
James Caballaro, presidente da CIDH/Foto: OEA
Redação
Escrito por Redação

O governo dos Estados Unidos pediu o “compromisso renovado”, dos 34 Estados-membros da Organização dos Estados Americanos (OEA), para garantir “a viabilidade a longo prazo”, da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CDIH), que enfrenta grave crise financeira.
“É fundamental que todos os Estados-membros façam a sua parte para solucionar a atual crise financeira que afeta essas instituições, incluindo a redução de fundos voluntários para projetos específicos, que agora afeta a Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH)”, disse um porta-voz do Departamento de Estado norte-americano à agência espanhola Efe.

A CIDH, órgão autônomo da OEA, divulgou comunicado ontem, segunda-feira (23), no qual assegura que se não receber fundos, ou compromissos para doações antes de 15 de junho, será inevitável “o desmantelamento de áreas essenciais”.

Para evitar essa “situação catastrófica”, a comissão apela aos Estados-membros, países observadores e outros possíveis doadores para que façam contribuições “urgentes” a fim de aliviar a “crise financeira extrema”, ao mesmo tempo em que pede à OEA que aumente sua dotação anual, de apenas 6 % do orçamento (US$ 4,8 milhões).(Agência Brasil)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.