Amazonas Economia

Ex-empregados da Benq começam a receber verbas rescisórias e trabalhistas

Reunião TRT definiu pagamento/Foto: Divulação
Redação
Escrito por Redação

Após quase sete anos de espera, os trabalhadores da extinta Benq Eletroeletrônica LTDA., vão começar a receber, ainda, a partir deste mês de junho, o pagamento das verbas rescisórias e trabalhistas devidas, segundo informação repassada aos trabalhadores, em audiência realizada na sede do Ministério Público do Trabalho no Amazonas (MPT 11ª Região), na manhã de hoje, segunda-feira (08).
Na ocasião, o procurador do Trabalho titular da ação, Jeibson dos Santos Justiniano, transmitiu aos presentes todas as informações relacionadas aos procedimentos finais do processo. Entre elas, a de que, após análise de documentação, outros 63 trabalhadores foram incluídos na lista final para recebimento do pagamento. Além disso, os 36 trabalhadores que à época da demissão já haviam recebido pagamento por meio de acordo realizado com o Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas, foram excluídos da lista.

Já nove dos trabalhadores que ingressaram na Justiça do Trabalho, ainda precisam comprovar o objeto da ação individual ajuizadas por eles para que possam ter o direito de acesso ao pagamento a ser realizado. A ação individual não pode tratar do pagamento das verbas rescisórias e trabalhistas por ser o mesmo objeto da ação civil coletiva.

O procurador do Trabalho explicou, também, que os trabalhadores que ainda não informaram os seus respectivos endereços, precisam fazê-lo ao Núcleo de Apoio à Execução do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região. “Os ex-empregados irão receber a notificação em casa, no endereço informado, e terão que se dirigir ao Núcleo de Apoio à Execução do TRT para buscar o alvará. O referido alvará, que dá acesso ao pagamento, será emitido no nome do próprio trabalhador”, alertou.

O acordo judicial no valor de R$ 5,7 milhões, vai beneficiar cerca de 300 ex-empregados da Benq e foi firmado em março deste ano, na Justiça do Trabalho, entre o Ministério Público do Trabalho e a empresa Siemens Mobile.

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.