Amazonas Colunas Max Diniz

Exemplo de Procedimentos de Construção de Histórias Infantis(Por Max Diniz Cruzeiro)

Era uma vez uma criança que se sentia sozinha no mundo, até que um dia ela parou para ouvir seus pensamentos. E lá no fundo de sua alma ela se encontrou com Deus.
Quando ela se deu conta que estava ouvindo sons diferentes da sua voz ficou assustada. Então Deus pronunciou: “Não temas, pois eu sou o Criador e estou a conduzir os seus pensamentos para me comunicar contigo.

Não quero que você se sinta só, pois minha promessa é estar sempre junto a ti quando precisar. E quando seu coração quiser ficar sozinho eu respeitarei a sua vontade porque o meu desejo é te conduzir naquilo que apenas você permitir para si mesmo.

Se a sua vontade no pensamento não estiver sendo satisfeita converse com seu pai e sua mãe, pois eles lhes ensinarão o caminho que permitirá você novamente se conectar comigo.

Eles lhe ensinarão a diferença do pensamento, do raciocínio e da razão.

Por hora lhe passarei um conhecimento provisório ideal para sua idade.

Quando você observar alguma coisa no ambiente onde você se encontra, a sua própria voz contida no seu cérebro é o seu pensamento.

Quando o pensamento se distanciar de você contando-lhe ou atuando como um personagem de uma história é a conexão com o seu Criador que estará presente dentro de sua alma te dando uma tarefa de aprendizado que poderá ser algo feliz ou triste dependendo da sua necessidade de aprendizado.

Quando você porém, se apropriar de um ensinamento que eu transmitir, aquilo que você fixar para sua mente é a razão que conduz a essência do que você verdadeiramente é.

Mas quando você estiver zangado por alguma razão quiseres conversar comigo me peça para que eu dirija a palavra a você numa intensidade e sentido que você prefere ser conduzido por mim. Porque eu te compreendo e te quero muito bem. E quando quiser se afastar por um tempo da minha presença ficarei em silêncio zelando pela sua segurança.

E na minha ausência aprenda a ser forte, a se comportar como um bom menino, porque seus atos eu os conheço por dentro, sei a verdadeira essência de como você verdadeiramente o é por dentro.”

Obs.:

1] Histórias deste tipo aproximam pais e filhos;

2] Gera um sistema de alerta por parte do tutor sobre como se desloca o comportamento cerebral de seu filho;

3] Contribui para estabelecer diagnósticos precoces no caso de necessidade de intervenção psicológica.

4] Conduz a manifestação de um pensamento livre;

5] Prepara a criança para o amadurecimento psíquico no futuro.(Max Diniz Cruzeiro é Neurocientista Clínico)

Comentários

comentários

Deixe seu comentário

error: Ops! não foi dessa vez.